• bannerSitePSDM3jan2020.jpg
Notícias
  Sábado, 7 Março 2020
“O grande desafio que temos pela frente é voltarmos a ser o Partido a liderar o poder local e não existe nenhuma razão para não recuperarmos essa liderança, a favor da nossa população e do desenvolvimento que a nossa Região merece e mais precisa”.
Esta foi uma das ideias deixadas, esta manhã, pelo Presidente do PSD/M, Miguel Albuquerque, na abertura de mais um Conselho Regional, desta vez na Calheta, numa ocasião em que foi expresso e reforçado o agradecimento público aos Militantes pelo trabalho desenvolvido a favor do Partido e da Região. Trabalho esse que é para continuar e reforçar, desde já, com humildade, proximidade e capacidade de renovação, numa preparação que ganha força com a antecipação do Congresso Regional - que deveria acontecer só no início do próximo ano - para o mês de outubro.
Albuquerque que, a este propósito, deixou clara a necessidade de preparar atempadamente o PSD/M para o próximo combate eleitoral de 2021, as Autárquicas, estando convicto de que a vitória é possível desde que o Partido esteja unido, mobilizado e determinado, conforme esteve, nas três eleições que enfrentou e venceu, em 2019.
Reafirmando que “em primeiro lugar está a Madeira e que, só depois, em segundo lugar, é que está o PSD/M”, o líder dos Social-democratas fez questão de frisar que, neste momento, o PSDM enfrenta um novo ciclo, tem um bom e acertado rumo para a governação e tem, acima de tudo, um Programa de Governo que é muito claro e que, aspirando maior crescimento económico, maior rendimento para as famílias e a concretização de algumas grandes obras, entre as quais se destaca a do novo Hospital da Madeira, visa, também, responder às necessidades básicas que em muito são essenciais para a qualidade de vida e bem-estar da população.
Referindo-se, por fim, a cada uma das estruturas do Partido e sem esquecer o Grupo Parlamentar, que tem andado no terreno e a contribuir para a ação e a dinâmica política que é essencial ao Partido, Albuquerque elogiou, também, o papel das Casas do Povo no apoio social e cultural às populações e garantiu que é esse trabalho, é dessa proximidade e resolução dos problemas que depende a vitória em 2021.
Uma mensagem deixada, também, pelo Secretário-geral José Prada, numa intervenção em que sublinhou não haver tempo a perder “com demagogias gastas, com contradições que têm de ser desmascaradas sem, todavia, serem demasiado valorizadas e com diferendos internos, quando os nossos ataques devem, mais do que nunca, concentrar-se lá fora, nos nossos verdadeiros adversários”.
“Temos um compromisso com a Madeira e o Porto Santo para honrar, uma responsabilidade acrescida para com as novas gerações e temos, acima de tudo, uma vontade enorme de fazer melhor. Mais e melhor por esta terra, pelas nossas gentes, Pelos nossos onze concelhos”, disse na ocasião, o Secretário-geral do PSD/M, rematando: “ao colocarmos os interesses dos Madeirenses acima de quaisquer outros e ao resolvermos os problemas que afetam a nossa população, estamos a cumprir. E quando cumprimos, vencemos. E é para vencer que estamos, juntos, nesta caminhada.Tal como estivemos sempre”.
Carlos Teles, a quem coube a primeira intervenção, fez questão de sublinhar a importância do trabalho que deve ser feito este ano, para a vitória em 2021.
“Este ano é ainda mais importante que o próximo, porque é um ano de preparação.
Estamos a trabalhar e a cumprir com as populações, temos sentido o apoio do Governo Regional e precisamos, mais do que nunca, desse apoio e de estarmos juntos e mobilizados para resolver os pequenos e grandes problemas da nossa população”, disse, na ocasião, referindo-se ao papel fundamental das Juntas de Freguesia e das Câmaras Municipais que o PSD/M espera recuperar, em 2021.
 
CONCLUSÕES DO CONSELHO REGIONAL PSD/MADEIRA
Calheta – 7 de março de 2020
 
O Conselho Regional do PSD/Madeira, reunido hoje, dia 7 de março, no Hotel SACCHARUM, concelho da Calheta, procedeu à análise dos pontos em agenda e aprovou as seguintes conclusões:
 
1. Depois de ter renovado, em novembro passado, a sua confiança na estratégia preconizada para a presente Legislatura, o Conselho Regional congratula-se com o balanço altamente positivo da governação e com as diferentes medidas que têm vindo a ser tomadas e continuadas, em prol da população da Madeira e do Porto Santo.
Há 78 meses consecutivos que a economia regional cresce, crescimento esse que se reflete na criação de empresas, no aumento do investimento público e privado, na criação de emprego, no crescimento do consumo e da procura externa e, no fundo, em todos os indicadores da atividade económica.
 
2. Congratula-se, por outro lado, pela aprovação do Orçamento Regional – que, no fundo, suporta a estratégia a desenvolver, este ano. Um Orçamento sólido, consistente e determinado, para uma Legislatura de quatro anos, que garante boas contas públicas, incentiva o crescimento económico, olha para o bem-estar e qualidade de vida das famílias e cidadãos e aloca avultados recursos financeiros para as áreas sociais – nomeadamente para a saúde, educação, habitação, apoio social – que contam, só neste ano, com mais 24 milhões de euros face a 2019.
 
3. Regozija-se, igualmente, pelo papel que os deputados do PSD/M eleitos à Assembleia da República, assumiram durante a discussão e aprovação do Orçamento de Estado para 2020, numa posição de força que deixou, mais uma vez, evidente, quem é que está ao lado dos Madeirenses e Porto-Santenses e quem é que verdadeiramente luta pela resolução dos problemas da nossa Região.
Aliás, será importante lembrar que o PSD apresentou 50 propostas de alteração ao Orçamento de Estado e fez aprovar 13, enquanto que o PS apresentou 2 e votou contra as 66 propostas apresentadas, por todos os Partidos, a favor dos Madeirenses e Porto-Santenses.
 
4. A este propósito, recorde-se que foi graças ao PSD que, ao fim de quatro anos, não só se criaram condições para que finalmente avançasse a obra do novo Hospital da Madeira, como se clarificou o cofinanciamento de 50%, por parte do Governo da República. Assim como também foi graças ao PSD que o Orçamento de Estado integrou a redução dos juros do empréstimo da dívida e que o subsídio de mobilidade, o ferry todo o ano ou o passe Sub-23 foram finalmente enquadrados.
 
5. Nas restantes reivindicações, o PSD continuará a exercer a sua luta conforme, aliás, tem vindo a fazer, por exemplo, contra a inaceitável discriminação da Universidade da Madeira face à dos Açores e a favor da revisão do Registo Internacional de Navios ou da redução das taxas aeroportuárias dos nossos Aeroportos.
 
6. Ainda em matéria de discriminações, o Conselho Regional repudia a inaceitável decisão que a TAP tornou pública, após avanços e recuos, relativamente às tarifas destinadas ao desporto, numa postura que confirma e acentua a falta de rumo, de estratégia e de planeamento de uma Companhia que, sendo maioritariamente detida pelo Estado Português, mais uma vez desrespeita e prejudica a Região e todos os Madeirenses e Porto-santenses.
Lamenta-se, aliás, que, perante aquilo que tem sido um ataque permanente à Região – que tem vindo a ser progressivamente afetada não só pelos preços praticados por esta Companhia como pela falta de sensibilidade para o que, supostamente, deveria ser considerada a continuidade territorial dentro do próprio país – o Governo da República se mantenha em silêncio, numa atitude alheada e irresponsável que deixa clara a preocupação do Partido Socialista para com a defesa dos nossos interesses.
 
7. O Conselho Regional sublinha, por outro lado, a união, a mobilização e a participação ativa de todos os militantes na eleição dos Presidentes das Comissões Políticas Concelhias e de Freguesia do PSD, estando reunidas, a partir de agora, todas as condições para que o Partido avance na preparação da vitória nas Eleições Autárquicas de 2021, de modo a recuperar a sua liderança local e concelhia e devolver, às populações, aquilo que perderam com a oposição no poder.
 
8. Neste âmbito e sublinhando a importância do trabalho que tem vindo a ser desenvolvido, localmente, pelos militantes e respetivas estruturas, o Conselho Regional reitera que é com todos que o PSD conta para desmistificar a mentira, a demagogia e a falta de compromisso que têm vindo a caracterizar a oposição, nos diferentes concelhos onde são poder, num trabalho que, sendo exigente, é crucial para assumirmos a nossa posição e afirmarmos a esperança na mudança de paradigma que se impõe.
 
9. Aliás, a incompetência, a desorientação e a propaganda que o PS teima em revelar – agravada quando assume um potencial líder que não tem estofo nem bagagem politica para liderar um Partido e, quanto mais, uma Região ou um projeto de governação alternativo – deixam antever grandes lutas mas, também, alguma facilidade em desmontar a ilusão que estes sabiamente montaram mas que, há muito, dá sinais da sua fragilidade e, acima de tudo, do embuste que são junto da nossa população.
 
10. O Conselho Regional reconhece, também, a mobilização registada na Eleição das Comissões Políticas Concelhias da JSD/Madeira e reitera a importância da colaboração, da participação e do envolvimento dos mais jovens nos desafios que se avizinham, para o nosso Partido, no próximo ano.
 
11. Enaltece, igualmente, a dinâmica da nova Direção dos Trabalhadores Sociais Democratas da Madeira e a aprovação dos seus novos Estatutos que, hoje homologados, irão permitir alargar o leque de apoio ao maior número de trabalhadores e classes profissionais, adaptar a estrutura às exigências do mundo laboral atual e promover a inclusão de novos elementos, concretamente mais jovens, sem esquecer a fundamental extensão desta estrutura a todos os concelhos da Região.
 
12. O Conselho Regional destaca, ainda, a aprovação do novo Regulamento de Quotizações do PSD/Madeira que, desde o Congresso de Janeiro de 2019, estava a ser preparado. Um Regulamento que, ao contrário do que se pretendia, foi decidido e aprovado pelos militantes Madeirenses e Porto-Santenses, abrindo espaço a um relacionamento mais próximo e facilitador dos direitos e deveres que todos temos a cumprir.
 
13. O Conselho Regional informa, por fim, que o Congresso Regional terá lugar no próximo mês de outubro, em data que será oportunamente avançada.