• bannerSitePSDM3jan2020.jpg
Notícias
  Quarta, 22 Janeiro 2020
“Pese embora o cenário muito positivo que se perspetiva para a Madeira – atendendo ao significativo reforço de fundos que está previsto, por força do nosso atual nível de desenvolvimento – é crucial lutar para que o Fundo de Coesão Europeu não seja reduzido, conforme propõe a Comissão Europeia”. Esta foi uma das principais preocupações deixadas pelo deputado do PSD/M eleito à Assembleia da República, Sérgio Marques, aquando da audição parlamentar ao Ministro dos Negócios Estrangeiros, no âmbito da apreciação, na especialidade, do Orçamento de Estado para 2020.
Sérgio Marques que, na ocasião, fez questão de vincar que “caso não haja este trabalho, por parte do Governo da República, podem estar em causa verbas avultadas que têm financiado o grosso dos investimentos necessários ao esforço de mitigação e adaptação às alterações climáticas – as quais agravam a intensidade dos fenómenos associados aos nossos riscos naturais (aluviões, incêndios e deslizamento de terras)” – e que devem continuar a servir para esse fim”.
Recorde-se que o quadro financeiro plurianual da União Europeia para o período 2021-2017, está em negociação há longos meses e que a decisão deverá ser tomada até ao final do ano. De acordo com a proposta da Comissão Europeia, Portugal pode sofrer um corte de 7%, muito por força de uma redução substancial do Fundo de Coesão Europeu que a Comissão corta em 45% e que pode vir a afetar seriamente a Madeira.
“É fundamental que a Região mantenha intacto o pacote financeiro que recebe do Fundo de Coesão Europeu”, alertou Sérgio Marques, no decorrer da sua interpelação ao Ministro Augusto Santos Silva.