• bannerSitePSDM3jan2020.jpg
Notícias
  Sexta, 29 Novembro 2019

No debate sobre a "Situação da saúde em Portugal” que, ontem, decorreu na Assembleia da República, a deputada Social-democrata Sara Madruga da Costa confrontou a Ministra da Saúde, Marta Temido, a propósito do novo Hospital e da clarificação que se impõe quanto ao seu financiamento, de 50%, no Orçamento de Estado para 2020. Naquela que foi a primeira intervenção da legislatura sobre um assunto da Madeira, no parlamento nacional, a deputada madeirense começou mesmo por questionar se seria “neste Orçamento” que o financiamento do novo Hospital da Madeira seria finalmente clarificado.

Uma pergunta que, conforme vincou, “os madeirenses e porto-santenses pretendem ver respondida e, acima de tudo, clarificada, no seguimento da reunião entre os dois Governos, o da República e o da Madeira”. Deputada que, na ocasião, lembrou que, “nos últimos quatro anos, tanto a Sra. Ministra quanto o seu Governo não se mostraram disponíveis para clarificar o financiamento de 50% do novo Hospital da Madeira e para responder às diversas questões que colocamos”.

Questões essas que “o Primeiro Ministro parece finalmente comprometer-se a responder e a clarificar”, havendo, neste sentido, a expetativa de que, desta vez, “seja diferente” e o processo “siga os seus trâmites de forma diferente do que aquela que seguiu até agora”, salienta.

Sara Madruga da Costa sublinha a importância de que “o cofinanciamento desta importante infraestrutura hospitalar seja finalmente esclarecido e clarificado e que os 50% prometidos sejam efetivamente 50% e não 50% sem IVA ou sujeitos à dedução do valor dos Hospitais Nélio Mendonça e dos Marmeleiros”.

Em resposta à interpelação feita pela deputada social-democrata, Marta Temido disse, apenas, que “a componente nacional de financiamento do pagamento do novo Hospital Central da Madeira cobrirá 50% da construção, equipamento e fiscalização da obra no âmbito do Orçamento do Estado para 2020.”, sem mais nada adiantar sobre o assunto.