• bannerSitePSDM3jan2020.jpg
Notícias
  Segunda, 25 Novembro 2019

Os Deputados do PSD à Assembleia da República reuniram, esta manhã, com a Delegação Regional da ASPP/PSP - Associação Sindical de Profissionais de Polícia e garantiram que os compromissos assumidos por António Costa, atualmente ainda por resolver, “continuarão a ser uma batalha do PSD, na legislatura que agora se inicia”.

Em causa, a falta de consagração de um subsídio de insularidade para os agentes da PSP na Madeira – subsídio que abrange, na Região, a maior parte das forças de segurança mas exclui estes agentes – e a dificuldade destes profissionais no acesso aos cuidados de saúde, concretamente aos medicamentos – duas das grandes preocupações destacadas, deste encontro, por Sara Madruga da Costa.

Quanto ao direito destes profissionais ao subsídio de insularidade, o PSD pretende que o mesmo venha a ser finalmente consagrado, conforme já o devia ter sido na passada legislatura. “Não é uma questão nova, nós deputados do PSD, já por várias vezes reivindicamos esta consagração e o Ministro da Administração Interna e o Governo de António Costa ainda nada resolveram”, disse Sara Madruga da Costa, assegurando que este será um dos vários dossiês a assumir, nos próximos quatro anos, como bandeira.

Já no respeitante à saúde e, em particular, ao acesso aos medicamentos, a deputada social-democrata sublinha que, conforme é do conhecimento público, “é o Governo Regional que tem vindo a assegurar aquela que não é a sua competência, dado que é uma competência do Governo central, no apoio e na comparticipação aos medicamentos”, sendo esta uma questão “dramática, inadmissível e dificilmente justificável, que apenas sublinha o evidente desinvestimento do Executivo de António Costa nesta força de segurança, a prestar serviço na Madeira”.

Situação que é preocupante, reforça, “porque não atinge apenas os cerca de 800 agentes da PSP que atualmente prestam serviço na Região, mas, também, os seus familiares que precisam de medicamentos e que não são assegurados por quem devia fazê-lo, que é o Governo da República”.

“Os profissionais da PSP na Madeira merecem o nosso maior respeito e uma vez que, na semana passada, ocorreu, na Assembleia da República, uma das maiores manifestações de sempre da PSP que contou com cerca de 15 mil manifestantes, quisemos, também de uma forma simbólica, promover esta reunião, auscultar as preocupações e mostrar que o PSD sempre esteve e estará ao lado desta força de segurança, nas suas justas e legitimas reivindicações, num conjunto de preocupações que, no caso da Madeira, vão muito mais além do que aquelas que afetam os agentes da PSP que trabalham no continente português”, rematou.