• bannerSitePSDM3jan2020.jpg
Notícias
  Quinta, 7 Novembro 2019

O Grupo Parlamentar do PSD salientou, hoje, que a criação de uma Direção Regional para as Comunidades Madeirenses é um sinal positivo na integração e na não discriminação entre os madeirenses por parte do Governo Regional.

Deste modo, salientou o deputado Carlos Fernandes, o Governo Regional assume um “maior compromisso com a nossa diáspora e com os madeirenses dentro e fora da Madeira”.

O deputado adianta que, “para o Governo Regional”, não há madeirenses de primeira e de segunda”, pelo que os que agora regressam “têm os mesmos direitos que os que cá estão”.

No que se refere às políticas migratórias que o Governo Regional tem vindo a assumir relativamente aos emigrantes e aos que cá regressam, Carlos Fernandes refere que têm sido um exemplo ao nível nacional, lembrando que as realidades politicas e sociais que estão a viver os madeirenses na nossa diáspora, em particular, na Venezuela e na África do Sul, bem como todo o processo do BREXIT, na Inglaterra, têm levado a que um número significativo de madeirenses e luso-descendentes regresse à nossa Região.

Uma realidade que tem merecido uma resposta eficaz, sobretudo no que diz respeito à integração.

Face a este novo fenómeno migratório, disse, o Governo Regional decidiu reforçar e valorizar a importância das comunidades madeirenses, com a criação de uma Direção Regional das Comunidades e da Cooperação Externa, que ficará na tutela da Presidência do Governo Regional.

Além desta maior aproximação com as comunidades, esta nova Direção Regional terá, segundo o deputado, a responsabilidade de reforçar a Cooperação Externa, o que irá permitir um relacionamento mais direto e próximo com outras comunidades, para além de possibilitar uma maior captação de investimento na diáspora e o apoio aos empresários, em articulação com outros organismos públicos, trazendo mais oportunidades de investimento e de emprego para a Região.