• bannerSitePSDM3jan2020.jpg
Notícias
  Segunda, 16 Setembro 2019

Ou o PPD/PSD tem uma votação expressiva a 22 de setembro ou corremos o risco de ganharmos as eleições e o nosso programa ser chumbado por socialistas e comunistas, que são contra tudo aquilo que defendemos, alertou Albuquerque, lembrando que foi exatamente isso que António Costa fez, levando o país à desgraça sem sequer ter ganho eleições.

No Comício desta noite, no Caniçal, Miguel Albuquerque insurgiu-se contra “os mandatários de Lisboa na Madeira” e contra o cavalheiro que, a mando de António Costa disse que estava disposto a coligar-se e a unir-se à esquerda para governar a Região. “Alguém que não tem princípios nem programa e pode, na mesma, aliar-se à esquerda para governar”, vincou, lembrando que foi exatamente isso que António Costa fez: “Perdeu as eleições, foi ao parlamento, fez um pacto com os comunistas e está lá no poder a rebentar com o país”, disse, questionando: “É isto que os Madeirenses querem para o futuro?”
“Será que os Madeirenses e Porto-Santenses querem um governo com socialistas, comunistas e comunistas radicais? Com gente que é contra o investimento e contra as empresas, contra o ensino privado, contra a Zona Franca da Madeira e a favor do seu encerramento para mandar milhares e milhares de pessoas para o desemprego?”, indagou o presidente do PSD/M, acrescentando que escolher este caminho é escolher o caminho da regressão social, da instabilidade e da pobreza, o fim do desenvolvimento da Madeira.
Albuquerque que, na ocasião, fez questão de sublinhar que o seu “Partido está unido, na rua e no porta-a-porta, empenhado nesta luta e neste combate em nome da defesa da dignidade do povo Madeirense e da Autonomia.”
“Quem manda aqui na Madeira são os Madeirenses e Porto-Santenses e é por isso que o PPD/PSD vai ganhar as eleições a 22 de setembro”, rematou, lembrando que a confiança e o apoio de toda a população é essencial para que a Madeira continue a ser governada por um governo de maioria, a favor de todos e com paz social.
“Uma governação com estabilidade, projetada em nome do presente e do futuro, no rumo certo e favorável à todos os cidadãos.”

Madeira é exemplo para todos

“Hoje a Madeira é um exemplo que deve ser continuado em termos de governação”, referiu ainda, na sua intervenção, o líder dos Social-democratas, lembrando que, nos últimos 43 anos, a Região passou das mais pobres às mais desenvolvidas da Europa e que hoje, também graças à confiança nesta governação do PPD/PSD, “temos uma Região com crescimento económico há 72 meses, com a taxa de desemprego mais baixa desde há oito anos e, acima de tudo, com oportunidades para todos, concretamente para os mais jovens.”
Dirigindo-se à população do Caniçal, Albuquerque apelou ao voto no PSD, no próximo domingo, dia 22 de setembro, para que seu Partido continue a governar a Madeira, no rumo certo e para que, em conjunto, todos os Madeirenses e Porto-Santenses sejam capazes de manter a esperança que foi conquistada há 43 anos e a liberdade de decidirem livremente o que querem para o seu destino, rematou, garantindo que “tudo o que ficar combinado com o Caniçal será integralmente cumprido”.