• bannerSitePSDM3jan2020.jpg
Notícias
  Sábado, 31 Agosto 2019

Qual é a alternativa ao PSD? É um partido que não tem um programa, uma ideia e que serve vergonhosamente o poder central? Um partido que é uma barriga de aluguer do centralismo, da injustiça sobre os madeirenses e que se apresenta exatamente como o partido da submissão dos Madeirenses e Porto-Santenses a Lisboa?, questiona Miguel Albuquerque

Foi perante mais uma multidão que Miguel Albuquerque subiu esta noite ao palco, em Santa Cruz, para apelar ao voto naquele que é o único partido capaz de garantir o futuro da Região e a defesa da Autonomia e dos interesses e direitos de todos os Madeirenses e Porto-Santenses, “contra os partidos que representam o servilismo, a pouca vergonha e a mentira descarada ao povo madeirense”, referindo-se concretamente à António Costa e a um discurso que, hoje, em Machico, serviu para “gozar com a cara do nosso povo.”
“Como é que alguém que, nestes últimos quatro anos, não fez nada pela Madeira nem pelos Madeirenses e Porto-Santenses tem a lata de apelar ao voto?”, questionou o líder dos Social-democratas, refutando, taxativamente, tudo o que foi dito por Costa, na rentrée política do PS.
“António Costa tudo fez para prejudicar a nossa vida e o nosso desenvolvimento, nestes últimos quatro anos e seria bom que ele explicasse porque é que nunca interveio na TAP para baixar os preços que se praticam, porque é que não explicou porque é que nunca fez a revisão do subsídio de mobilidade, porque é que não reduziu os juros do empréstimos do PAEF, roubando-nos 12 milhões por ano e porque é que chumbou sempre todas as propostas do PSD/Madeira para melhorar a vida dos Madeirenses e Porto-Santenses, disse Miguel Albuquerque, lembrando, ainda, o dinheiro que foi prometido aquando dos incêndios de 2016, os mais de 30 milhões que nunca chegaram e, também, o fato da República ter menosprezado os estudantes universitários da Madeira, ao chumbarem o aceso ao passe Sub-23 que o Governo Regional teve de assumir.

Líder dos Social-democratas que afirmou, ainda, que é também o Governo Regional que esta a assumir os apoios à saúde dos profissionais da GNR, PSP e Exército que se encontram na Região, apoios que são da responsabilidade do Estado.

No que respeita ao novo Hospital, Albuquerque acusa Costa de enganar, mais uma vez, os Madeirenses, ao dizer que vai financiar esta Unidade em 50% quando, na realidade e tendo fugido às expropriações e tentado exigir que os Hospitais da Cruz de Carvalho e dos Marmeleiros, Edifícios que pertencem à Região, passassem a património do Estado, esse apoio atualmente já nem chega aos 27%.