• bannerSitePSDM3jan2020.jpg
Notícias
  Sábado, 31 Agosto 2019

“Estamos aqui, hoje, para assumir o compromisso de fazer crescer Santa Cruz, de dar a Santa Cruz um novo rumo, um novo caminho de crescimento sustentável, estável e equilibrado, com visão estratégica de médio e longo prazo, até porque temos, também, de pensar nos nossos filhos”. A afirmação é de Brício Araújo que, no palco, fez questão de sublinhar a necessidade de transformar o concelho de Santa Cruz, a sua terra, num lugar melhor para todos, algo que está só ao alcance do PSD/Madeira.

Lamentando que Santa Cruz seja, hoje, um terra estagnada, sem amplitude, sem rumo, sem qualquer estratégia de desenvolvimento e crescimento sustentável e citando um estudo da Ordem dos Economistas que, divulgado em maio, dava conta de que este concelho se encontrava “entre os 10 piores concelhos em Portugal, em termos de desenvolvimento sustentável”, Brício Araújo defendeu, para o futuro, muito mais do que “uma gestão do imediato, com pequenas operações cosméticas e sem qualquer visão de futuro”.

O modelo autárquico seguido neste concelho é “um modelo ultrapassado que não traz crescimento nem desenvolvimento futuro”, disse, aludindo ao anúncio feito pela autarquia, no início de agosto deste ano, de que tinha enviado uma carta a um grupo espanhol para investir em Santa Cruz. Ora bem, “isto não é gerir um concelho, o investimento em Santa Cruz não se faz com cartas”, afirmou, defendendo que “é necessário criar condições de investimento, de crescimento, de estabilidade e de desenvolvimento a longo prazo para  atrair investidores e fixar empresas e pessoas em Santa Cruz”, frisou.

“O PSD é o único partido que tem um verdadeiro líder político e uma estrutura sólida e pronta para governar”

“Miguel Albuquerque é um Homem com experiência Governativa, um homem com grande sentido humanista, um Homem de Grande competência, que tem resistido aos grandes ataques da República, aos quais tem reagido com firmeza na defesa dos direitos da Madeira e de todos os Madeirenses”, disse, na ocasião, o candidato social-democrata, vincando que o povo Madeirense não pode ir na conversa dos socialistas e, particularmente, de António Costa, alguém que tem vindo a “asfixiar a Madeira, desrespeitando o nosso povo, com o único intuito de alcançar agora o poder.”

O PSD, assegurou “é o único Partido que tem um verdadeiro líder político, uma estrutura sólida e pronta para governar e um projeto sério que garante estabilidade, sustentabilidade, desenvolvimento e crescimento para a Madeira”, rematou.