• bannerSitePSDM3jan2020.jpg
Notícias
  Sábado, 31 Agosto 2019

A defesa do direito à mobilidade dos madeirenses continuará a ser uma prioridade para o PSD. Esta foi uma das ideias deixadas pela candidatura social-democrata às Eleições Regionais de 22 de setembro, após um encontro com jovens estudantes em Santa Cruz.

"Durante 4 anos o Governo da República negou a revisão do subsídio social de mobilidade, por vontade exclusiva do PS e de António Costa, neste período os residentes e os estudantes sofreram com o abuso da TAP, perante a cumplicidade do Primeiro-Ministro”, disse Lídia Abreu.

A candidata salientou que "os estudantes e os madeirenses em geral foram muito penalizados pelo desprezo do Governo de António Costa, sentindo-se abandonados pelo Estado e obrigados a pagar valor especulativos que apenas serviram para engordar a companhia pública TAP"

Lídia Abreu lembrou os estudantes só não foram mais penalizados porque o Governo Regional interveio, com a implementação do programa 'estudante Insular', permitindo beneficiar, em 9 meses, cerca de 10 mil universitários, os quais, sem este apoio, teriam de adiantar o valor total das passagens, que, nalgumas épocas, podem ultrapassar os 500 ou mais euros.

"Tratou-se de uma iniciativa louvável por parte do Governo de Miguel Albuquerque que foi, sem dúvida, uma grande ajuda para quem tem filhos a estudar fora da Madeira. Temos a certeza de que se o Governo não tivesse tomado o pulso a esta situação, muitos estudantes madeirenses teriam passado as férias de Verão, Natal e da Páscoa longe das suas famílias", salientou a candidata, lembrando que esta tomada de posição do Executivo madeirense foi necessária porque o Governo da República não cumpriu aquelas que são as suas responsabilidades em matéria de mobilidade. Primeiro, com "a recusa em rever o subsídio de mobilidade, o que já deveria ter acontecido em fevereiro de 2016", e depois, com o protelamento da proposta aprovada na Assembleia Legislativa da Madeira, que "ficou dois anos esquecida nas gavetas de São Bento", sendo apenas aprovada na reta final da Legislatura.

Concluiu a Candidatura do PSD que agora que a proposta da Madeira de Revisão do Subsídio Social de Mobilidade foi finalmente aprovada, os madeirenses e portossantenses não vão aceitar mais bloqueios partidários ou muito menos promessas falsas do Primeiro-Ministro, garantindo que o PSD tudo vai fazer para exigir o cumprimento daquela que é a vontade dos Madeirenses.