• bannerSitePSDM3jan2020.jpg
Notícias
  Domingo, 28 Julho 2019

Líder dos Social-democratas destaca mobilização e união do partido e garante derrotas de António Costa na Madeira Miguel Albuquerque subiu ao palco e foi bastante aplaudido naquela que foi a última e mais esperada intervenção política da Festa do Chão da Lagoa, neste domingo. Uma intervenção onde lançou duras críticas à governação de António Costa, formada por incompetentes e anti autonomistas que, também aqui, têm a pretensão de chegar ao poder, algo que o povo Madeirense não vai permitir. Uma intervenção que não esqueceu o agradecimento sentido à presença de Alberto João Jardim, naquela que é a grande festa da Autonomia, assim como o reconhecimento público do trabalho que tem vindo a ser desenvolvido pelas várias estruturas do partido, nomeadamente os Autarcas, a JSD e os TSD. Reafirmando que o PPD “é uma força única, é a Madeira no seu melhor e é uma força imbatível”, Miguel Albuquerque não tem dúvidas de que o seu partido está unido e mobilizado, assim como garante que “os madeirenses e porto-santenses não vão em cantigas e não vão colocar no poder os anti autonomistas, os socialistas, os bloquistas, os comunistas e demais extremistas". E é por isso que, a 22 de setembro, o Líder dos Social-democratas afiança “a segunda derrota de António Costa na Madeira”, derrota socialista que também antecipa a 6 de outubro, lembrando que a Autonomia é algo que a esquerda não respeita nem percebe. “Era o que faltava o Primeiro-Ministro de Portugal querer criar, agora, um Conselho de Concertação das autonomias quando a Autonomia da Madeira é dos Madeirenses, tem órgãos próprios e vai continuar a ser nossa, no presente e no futuro”, reforçou. "Vamos ganhar porque o povo é lúcido", sublinhou, reforçando: “nós cumprimos as nossas promessas, nós não enganamos a população. Toda a gente sabe que a Madeira está a crescer há 71 meses, toda a gente sabe que a Madeira é a única região do país que baixou os impostos para as famílias e empresas, toda a gente sabe que baixámos o desemprego para 7%”, vincou, dando muitos outros exemplos de uma governação que diariamente vai ao encontro das necessidades e expetativas da população Madeirense e Porto-santense. Miguel Albuquerque adiantou, ainda, que o seu partido vai continuar e reforçar o trabalho de mobilização que tem vindo a seguir em todos os concelhos e freguesias, salientando que a decisão, nos próximos combates eleitorais, é fácil e passa por evitar, a qualquer custo, que a nossa Região caia nas mãos de uma geringonça, “o que seria uma tragédia”.