• bannerSitePSDM3jan2020.jpg
Notícias
  Sexta, 19 Julho 2019

A JSD/Madeira congratula-se com a votação da proposta do PSD relativa à revisão do subsídio social de mobilidade, numa alteração ao modelo que permitirá aos madeirenses e porto-santenses, o pagamento de 65 e 86 euros, a estudantes e residentes, respetivamente, nas deslocações ao território nacional.

Esta luta, assumida por todas as estruturas do PSD/Madeira e, em especial, pelo seu líder, Miguel Albuquerque, vem revelar que não só o PSD é a única força política que se preocupa com a Autonomia e com o futuro dos madeirenses como, também, é a única força política capaz de permitir a alteração de uma postura centralista e discriminatória para todos aqueles que escolheram esta Região Autónoma para viver, assegurando assim os seus direitos constitucionais básicos.

Para a JSD/Madeira esta é uma conquista particular, uma vez que hoje se concretizam as aspirações de gerações que lutaram para que os jovens tivessem acesso ao Ensino Superior, em condições menos desiguais do que aqueles que são oriundos do território continental. Esta conquista permitirá que o Governo Regional se deixe de substituir aos estudantes no adiantamento das “módicas quantias” de 400 euros.

Aliás, hoje os efeitos dos preços elevados da rota Madeira-Lisboa são mitigados porque houve uma estrutura governamental, neste caso o Governo Regional da Madeira, liderado pelo PSD, que assumiu a dianteira e procurou resolver os problemas dos jovens madeirenses, demonstrando qual o único partido que governa para todas as gerações.

Neste sentido, cabe à JSD/Madeira perguntar, diretamente ao Governo da República, na pessoa do Ministro dos Transportes e Infraestruturas, a partir de quando é que os madeirenses terão direito à concretização desta medida.

Atendendo a que nos encontramos a cerca de um mês e meio para o início do ano letivo 2019/2020, o que a JSD/Madeira pretende saber é se os estudantes passarão a pagar os 65€ desde o início do ano letivo ou apenas com a entrada em vigor do orçamento de 2020, com efeitos a partir do segundo semestre do ano letivo? 

Não basta aprovar em sede de Assembleia da República. Para se credibilizar a ação política é fundamental que se passe das palavras aos atos.

Cabe agora aos decisores da República definirem o momento, a forma e o conteúdo da entrada em vigor dos novos preços, dado que a Região não tem poderes para definir as condições de mobilidade interna no País.

Estamos certos de que, até lá, o Governo Regional da Madeira, liderado pelo PSD, continuará o seu apoio incessante às famílias com estudantes deslocados, permitindo que, independentemente da situação financeira das famílias, não exista exclusão para todos aqueles que ousam lutar por um melhor futuro.

Com a JSD/Madeira e o PSD/Madeira, os madeirenses terão sempre a garantia de que o elevador social funciona, uma vez que a igualdade de oportunidades e o combate às assimetrias sociais, através do desenvolvimento, foram e sempre serão as nossas linhas orientadoras.