• slideChao.jpg
  • slideCampanha3.jpg
  • slideCampanha2.jpg
  • slideCampanha4.jpg
  • slideCampanha5.jpg
  • slideCampanha6.jpg
Notícias
  Sábado, 13 Julho 2019

O presidente da JSD/Madeira, Bruno Melim, alertou este sábado para os perigos que cercam a Autonomia, sublinhando que cabe a todos os madeirenses defender um legado que não está garantido.

“Não podemos perder tempo. A maior conquista e o legado de gerações está em risco, e cabe a cada um de nós a defender sob pena de não termos o amanhã pretendido”, disse Bruno Melim na abertura do Conselho Regional da JSD/Madeira, que contou com a presença do presidente do Partido, Miguel Albuquerque.

Pode, vincou o líder da ‘Jota’ para Albuquerque, contar connosco na “defesa intransigente” dos valores da Autonomia. “Sabemos que a Madeira e o PSD, precisam da JSD”, frisou, insistindo que a Autonomia não pode ser um “léxico abastrato”, mas um sim o “exercício de fazer diferente”, e uma marca identitária dos seis séculos de história da Madeira.

“A Autonomia conquistada em 1976 nunca correu o perigo de hoje. Cada um de nós tem de ter a consciência de que nada do que viveu, nada do que vive, está garantido”, alertou, considerando ser fundamental responder com coragem ao desafio de defender a Autonomia. “Cada um de vós que está aqui representa a JSD na sua localidade. São os principais veículos daquilo que é a mensagem política da defesa intransigente de não estarmos os submissos a um poder central longe distante.”

Durante o Conselho Regional, foram constituídos vários grupos de trabalho intergeracionais, de onde sairão contributos para o manifesto eleitoral ‘Autonomia 14-30’ que a JSD/Madeira irá apresentar a 12 de Agosto, num Sunset Party. “Um documento representativo de todas as gerações que hoje ambicionam um futuro melhor para a Madeira”, concluiu.