• bannerSitePSDM3jan2020.jpg
Notícias
  Sexta, 24 Maio 2019

Foi numa visita aos Carreiros do Monte que a candidata social-democrata Cláudia Monteiro de Aguiar lançou, esta manhã, um último apelo para que, no próximo domingo, dia 26 de maio, "todos os madeirenses e porto-santenses expressem o seu sentido de voto e marquem a diferença".

Uma participação que considera fundamental "para garantir que, em Bruxelas, a Região continue a estar bem representada e para que, em conjunto, possamos continuar a trabalhar pelo que é melhor para a Madeira e para o Porto Santo". Marcar a diferença "que é, aliás e também, combater a abstenção nestas eleições e não deixar que os outros decidam por nós ou que anunciem vitórias antes do tempo", vincou.

Junto aos Carreiros do Monte e num local que, segundo fez questão de referir, "foi escolhido simbolicamente para assinalar o último dia de campanha", Cláudia Monteiro de Aguiar reforçou que "tal como estes homens fazem toda a diferença e contribuem para a afirmação do nosso destino, nos quatro cantos do mundo, também no próximo domingo é essencial que todos possam fazer a diferença, escolhendo o partido no qual se sentem melhor representados e assegurando, sobretudo, que dessa escolha resultem melhorias, a todos os níveis, para o futuro".

"O PSD tem dado provas de que tem representado bem os seus cidadãos madeirenses e porto-santenses em Bruxelas e continuará a fazê-lo", reforçou Cláudia Monteiro de Aguiar, sublinhando que "conta com todos para continuar um trabalho centrado nas pessoas e na melhoria das condições económicas e sociais da Região, em nome de uma sociedade com mais e melhor emprego, mais inclusão social, melhor qualidade de vida e, naturalmente, maiores oportunidades de realização".

Confrontada com a acessibilidade ao destino e com questões que se prendem com a mobilidade dos cidadãos residentes, Cláudia Monteiro de Aguiar foi taxativa. "Do ponto de vista do apoio às infraestruturas aeroportuárias e portuárias, o PSD tem vindo a lutar e tem conseguido garantir mais investimento, por parte da Europa, para a Região, sendo que, no caso da mobilidade interna, é ao Governo da República e ao candidato Pedro Marques – que nunca resolveram o subsídio de mobilidade nem nunca acautelaram o respeito pelo principio da continuidade territorial – que devem ser pedidas explicações", disse, lembrando que o PSD instou a Comissão Europeia a esse propósito da continuidade territorial, aguardando-se, neste momento, a resposta.