• Captura de ecrã 2019-08-29, às 17.15.49.png
Notícias
  Quarta, 22 Maio 2019

"Esta empresa, com cerca de 50 trabalhadores, é o exemplo prático de que o Centro Internacional de Negócios da Madeira cria emprego, envolve empresas, tem gente ao serviço e tem, sobretudo, um impacto fundamental e um efeito multiplicador na nossa economia que, infelizmente, têm vindo a ser gravemente negligenciados". A afirmação é de Cláudia Monteiro de Aguiar que, nesta manhã, visitou as instalações da empresa Iberotrade, sedeada neste Centro Internacional, lembrando que "ao contrário do Partido Socialista e do PCP, o PSD sempre foi o único partido a defender esta instituição na Europa", num trabalho que pretende reforçar para o futuro.

"É lamentável que alguns Partidos da nossa oposição – que agora se fingem ao lado do Centro Internacional de Negócios – tenham sido os principais responsáveis pela sua difamação pública, ao longo dos últimos anos e concretamente junto das instâncias europeias", frisou a candidata social-democrata, garantindo que tais argumentos caem por terra quando se constata que "neste Centro, existem postos de trabalho que sustentam famílias que dependem, diretamente, do seu funcionamento, sendo, por isso mesmo, o valor social desta estrutura bem superior ao meramente económico".

E é também grave, prosseguiu, que "ao fim de todos estes anos, o PS e o PCP ainda não tenham percebido que tipo de economia é que este Centro movimenta e permite afirmar, como neste caso em que temos uma empresa de viagens e turismo espanhola que, sedeada no CINM, opera desde a nossa Região para todo o mundo, nomeadamente para mercados como o México, Brasil, Jamaica e República Dominicana"».

No Parlamento Europeu e tal como até agora, Cláudia Monteiro de Aguiar compromete-se a lutar pela defesa intransigente deste Centro Internacional e garante que "o PSD tudo fará não só para assegurar a manutenção desta Instituição como, também, para desmistificar as calúnias de que tem sido alvo, com exemplos práticos que, à semelhança deste, comprovam que esta não é uma realidade virtual". Candidata que, a este propósito, lembrou, ainda, as receitas e o contributo da maior importância que o CINM assume na economia de uma ilha insular e ultraperiférica como a Madeira.

Confrontada com as sondagens que têm vindo a ser tornadas públicas, a candidata garantiu que o PSD está a fazer a sua campanha, a demonstrar aquilo que tem defendido no Parlamento Europeu e a apresentar os projetos a que se propõe para o futuro, num trabalho que é para continuar até ao fim. "Estou certa de que, no dia 26, os eleitores darão o seu voto àquele partido que é o mais europeísta e àqueles com quem se sentem melhor representados", rematou.