• bannerSitePSDM3jan2020.jpg
Notícias
  Sábado, 11 Maio 2019

“Ao contrário do Governo da República, a União Europeia, dentro das suas capacidades e recorrendo ao Fundo de Solidariedade (FSEU), foi célere em apoiar a recuperação dos danos resultantes do episódio dos fogos que assolaram a Madeira, em 2016”. A afirmação é da candidata social-democrata Cláudia Monteiro de Aguiar que, neste sábado, visitou uma das faixas corta-fogo, no concelho do Funchal, precisamente para assinalar a importância do investimento que está a ser desenvolvido, pelo Governo Regional, na prevenção dos incêndios.

Sublinhando que, na altura dos incêndios de 2016, o Governo da República e, concretamente, o atual cabeça-de-lista socialista às Eleições Europeias, Pedro Marques, comprometeu-se em apoiar a Região com cerca de 30 milhões de euros, no âmbito do Fundo de Coesão, Cláudia Monteiro de Aguiar questiona “porque é que esse dinheiro nunca chegou à Região e, concretamente, às pessoas que dele mais precisavam”.
“Importa saber porque é que na altura em que foi acionado o Fundo houve este compromisso e a população da Madeira tem todo o direito de saber se esta foi apenas mais uma promessa adiada de Pedro Marques”, insistiu a candidata social-democrata, frisando que, pelo contrário, o PSD esta e sempre esteve empenhado em minimizar estes danos, sendo, aliás, este um compromisso para o futuro.
“Sabemos que, no próximo quadro financeiro plurianual, a dotação do fundo de solidariedade será reforçada e aquilo que o PSD defenderá, em sede do Parlamento Europeu, é que as verbas não só venham a ser aumentadas como que o âmbito destes apoios possa ser alargado e que os prazos venham a ser reduzidos”, rematou a candidata, estranhando que, também nesta situação, o apoio da Europa chegue mais depressa do que o do Estado.