• bannerSitePSDM3jan2020.jpg
Notícias
  Segunda, 29 Abril 2019

A Assembleia Municipal do Funchal aprovou esta segunda-feira a criação de uma Comissão Eventual de Acompanhamento da Auditoria Externa à Frente Mar.

A proposta, que partiu inicialmente de um dos partidos que integravam a coligação Confiança, o JPP, mereceu a concordância dos deputados municipais do PSD, que pressionaram a bancada que suporta o executivo a votar favoravelmente.

“O PSD vai votar ao lado do JPP e espera que a a Confiança vote também”, começou por desafiar o deputado social-democrata Bruno Macedo, lembrando ando que a Frente Mar Funchal tem sido ao longo dos últimos anos “uma fonte permanente de suspeita”, sendo esta “a melhor oportunidade para esclarecer” a verdade.

“Para evitar que esta empresa continue a ser acusada vista, e sob suspeita, porque é uma agência de empregos. Porque tem despesas não justificadas. Porque há contas por explicar. Deviam aproveitar para aprovar esta medida”, enumerou Bruno Macedo, recordando outras polémicas que envolvem a Frente Mar, desde que, em 2014 este executivo decidiu intervir nesta empresa.

São os prejuízos acumulados, a situação de falência técnica, mesmo com a injecção de capital feita pela Câmara Municipal do Funchal a rondar um milhão de euros, e, mais recentemente, a situação da indemnização a um funcionário no valor de 300 mil euros.

“Com a vontade que tinha de querer mudar as coisas, acho que isto seria uma boa oportunidade”, disse Bruno Macedo, aconselhando o presidente da Câmara a “reconhecer” que não tinha razão. “E que se calhar as coisas deviam continuar como estavam, e estariam melhor do que agora que [a empresa] continua a dar prejuízo”.

A proposta acabou por ser aprovada com os votos favoráveis de todas as forças políticas com exceção de duas abstenções da bancada Confiança e a abstenção da CDU.