• bannerSitePSDM3jan2020.jpg
Notícias
  Segunda, 29 Abril 2019

A compensação financeira de apoio às vítimas e aos familiares afectados pela queda da árvore no Monte, no dia 15 de agosto de 2017, que provocou a morte a 13 pessoas e feriu meia centena, vai mesmo avançar, graças à proposta apresentada pelo PSD na Assembleia Municipal da Autarquia do Funchal, que foi aprovada pela maioria das forças políticas

Apesar da Coligação Confiança ter votado contra a criação deste fundo municipal de apoio às vítimas do Monte, o que mereceu fortes críticas por parte das restantes bancadas, valeram os votos favoráveis das restantes bancadas do PSD, CDS, JPP, PCP, PTP, e do MPT para a ‘Criação de um Procedimento de Apoio Extrajudicial de Apoio às Vitimas da Tragédia do Monte’.

“Urge a Câmara Municipal do Funchal atuar junto das vítimas do Monte”, frisou a deputada municipal social-democrata, Raquel Silva, repudiando o silêncio a que o executivo da Autarquia do Funchal se remeteu desde a tragédia de 15 de agosto de 2017.

“São 20 meses de um longo silêncio”, notou Raquel Silva , lembrando que a CMF, ao longo de 20 meses, tem vindo sistematicamente a esconder-se, na pessoa do senhor presidente da Câmara em expressões como ‘não tenho conhecimento’ ou ‘desconheço quem, quando e de que forma, a Câmara intervém naquela zona’”.

Por isso, a deputada municipal considera, “profundamente lamentável que o presidente da CMF – que é o rosto desta cidade – “não tenha sequer uma palavra de apoio e de apreço pelas vítimas e pelos seus familiares. E mais uma vez, fê-lo hoje mesmo durante a sessão de assembleia municipal, onde não houve uma única manifestação sobre este assunto.”