• bannerSitePSDM3jan2020.jpg
Notícias
  Quarta, 3 Abril 2019

Foi durante as vereações do PSD na Câmara Municipal do Funchal (CMF) que mais se investiu na habitação social. “Nos mandatos do PSD na Câmara do Funchal, foram construídos 2.572 fogos habitacionais que, ainda hoje, beneficiam mais de 10.000 pessoas”, afirmou esta quarta-feira o deputado municipal social-democrata, Fábio Bastos, durante o debate específico sobre a ‘Gestão e Administração dos Bairros Sociais sob a Responsabilidade da Câmara Municipal do Funchal’, que decorreu nos Paços do Concelho.

Paralelamente continuou, o deputado municipal social-democrata, o PSD deixou como legado 16 centros comunitários, cinco polidesportivos, três ginásios municipais, uma universidade sénior, entre outras infraestruturas de apoio à população.

Já com o atual executivo municipal socialista, e decorridos seis anos, o investimento na habitação social recuou e a reabilitação urbana estagnou, fruto de uma atuação negligente e pouco sensível às necessidades da população. Em 2013, sublinhou Fábio Bastos, o PSD deixou vários projetos e novas construções prontos a executar, mas por mero capricho esta vereação guardou-os na gaveta.

“Como podemos aceitar que existam 12 empreendimentos, que totalizam 445 fogos, devidamente aprovados e validados pelo IHRU, e que, em 6 anos de governação deste executivo, não se tenha feito nada para avançar com estes projetos?”, questionou, especialmente quando as listas de espera aumentam e já chegam às 3.700 3.000 pessoas.

A reabilitação urbana, por seu turno, estagnou, resumindo-se à colocação de lonas em prédios degradados, constataram os sociais-democratas, lembrando que o atual executivo camarário não reabilitou um único prédio dentro da Cidade para trazer mais habitantes para o centro do Funchal.

Falando sobre a obra do PSD na CMF, no que concerne à habitação social, e que beneficiou diretamente mais de 10.000 pessoas, Fábio Bastos interrogou qual o legado que será deixado pela vereação socialista.

“O verdadeiro legado que este executivo Socialista deixa, é 3.700 famílias a aguardar por uma habitação condigna. Este será o seu legado, uma negligência que jamais será esquecida”, concluiu, questionando quantos fogos serão construídos em 2019.