• bannerSitePSDM3jan2020.jpg
Notícias
  Quarta, 6 Março 2019

O Presidente do PSD/M lamenta que não se respeite nada nem ninguém e que se recorra "a um jogo sujo de desinformação e boataria onde apenas vale a conquista do poder a qualquer preço".

"Com o aproximar de actos eleitorais agendados para este ano, assiste-se na RAM às manobras mais ignóbeis da máquina de propaganda socialista, com a difusão das falsidades e das infâmias mais vergonhosas acerca de pessoas e instituições", disse Miguel Albuquerque.

Conforme salientou, "a mais recente dessas manobras cabotinas, felizmente desmascarada, pretendia encobrir o descalabro do governo da geringonça na área da Saúde, pondo em causa com falsidades a forma consistente e eficaz como a doença oncológica é tratada na Madeira".

Miguel Albuquerque afirma que "a verdade é cristalina e elementar" e explica porquê:

"Até 2009 os Madeirenses com necessidade de radioterapia eram obrigados a fazer os tratamentos fora da Região, longe de casa, no continente, em situações de grande vulnerabilidade, ficando hospedados em pensões sem o conforto e apoio familiar.

Desde 2009 que os tratamentos de radioterapia se realizam na Madeira, fruto da parceria entre o serviço da RAM e a empresa Quadrantes, que venceu, então, um concurso público internacional para a conceção, construção e exploração de uma unidade de radioterapia na Madeira.

A Quadrantes, no cumprimento do contracto com o Governo, entre 2009 e 31 de Dezembro de 2018, assegurou o tratamento e resposta a 4.558 doentes oncológicos.
Esses doentes necessitaram de 116438 tratamentos, uma média de 500 doentes e de 10.500 tratamentos/ano.

Os cidadãos Madeirenses com doença oncológica, que precisam ou vierem a precisar de tratamentos de radioterapia, são e continuarão a ser cuidados na Madeira, com a garantia de tecnologia de ponta, certificada com as normas apropriadas e a excelência clínica avaliada por padrões internacionais.

Confundir, deliberadamente ou por ignorância, os tratamentos de Radioterapia com a Medicina Nuclear é um absurdo.

90% da atividade da Quadrantes na Madeira é com o serviço de Radioterapia, que não existe no sistema público.

A Medicina Nuclear é uma especialidade médica que utiliza materiais radioativos no diagnóstico e tratamento de muitas doenças.

Só em 2017 é que esta especialidade passou a funcionar no sistema público, que então era concretizada pela Quadrantes."