• bannerSitePSDM3jan2020.jpg
Notícias
  Domingo, 3 Março 2019

A JSD Madeira realizou a ‘Semana da Agricultura’ entre os dias 25 de fevereiro e 1 de março. Neste âmbito, a estrutura política de Juventude visitou algumas empresas ligadas ao sector primeiro com o objectivo de dar a conhecer as suas propostas para a área, bem como, ouvir os empresários do sector bem como a AJAMPS.

No âmbito do projecto apresentado no último congresso regional da JSD as linhas sectorias baseiam-se: na necessidade de implementação de um banco de terrenos agrícolas que possibilitem o acesso a terras para arrendamento; Uma fiscalização eficaz para que se evite o abandono e, ao mesmo tempo, a prevenção dos incêndios; Facilitar o processo de financiamento bancário aos jovens empreendedores rurais; E promover a formação contínua dos jovens agricultores nos âmbitos deste sector profissional e da gestão das unidades empresariais por si constituídas.

Assim sendo é com natural satisfação a adopção, por parte do Governo Regional da Madeira, de uma política de valorização dos solos, nomeadamente em matéria de banco de terras para o desenvolvimento agrícola. Sendo certo que apesar da medida ainda não estar na plenitude da execução, não deixa de constituir como uma opção política válida para uma agricultura que se quer arrojada e modernizada.

Importa, ainda, salientar que sendo hoje a agricultura responsável por uma receita líquida de 60 milhões de euros esta é uma área que deve merecer a atenção dos agentes políticos com propostas que defendam o sector e valorizem o trabalho de muitos milhares de madeirenses.

Nesse sentido a JSD defende um investimento na modernização e eficiência de custos dos projectos agrícolas, para que os produtos produzidos na Região possam competir quer em preço e em qualidade, com os produtos do mercado global, nomeadamente com a América Latina no caso da banana.

No que respeita ao escoamento dos produtos a JSD destaca a importância do avião cargueiro que permite um aumento da qualidade dos produtos exportados pela Região.

Na Região dadas as características da agricultura praticada é, também, essencial procurar consciencializar e introduzir novas técnicas de produção que potencializem, em termos de custo/benefício, a agricultura biológica nas unidades de cultura médias existentes na Região.

É com preocupação que a JSD Madeira olha para a negociação do futuro quadro comunitário, com Bruxelas a quere cortar 15% dos actuais apoios aos projectos agrícolas, obrigando a que os Governos passem a gastar o dobro em despesa pública com sector primário quando comparado com os últimos 6 anos.

Dada a importância dos fundos comunitários neste sector, a JSD Madeira defende a possibilidade de, junto das instituições próprias, no âmbito dos apoios entregues pelos fundos europeus, nomeadamente pelo PRODERAM, não haja qualquer intervenção do agricultor sendo o financiamento do projecto e respectivo reembolso, parcial ou total, feito directamente entre a entidade financeira e o respectivo fundo europeu sem qualquer intermediário.