• bannerSitePSDM3jan2020.jpg
Notícias
  Terça, 26 Fevereiro 2019

O uso e abuso de dos meios da Câmara Municipal do Funchal, por parte do edil funchalenses, para fazer campanha pelos socialistas na Região foi uma das questões levantadas esta terça-feira pelo grupo municipal do PSD em Reunião de Assembleia Municipal.

Para além da “raridade” do presidente da Autarquia em ter disponibilidade para os assuntos camarários, Alexandre da Silva aponta aquilo que considera “vergonhosa” a utilização que o presidente do Município do Funchal faz para fins eleitorais.

O deputado municipal social-democrata deu alguns exemplos, recuando à campanha eleitoral das Autárquicas, quando o presidente do Município encerrou o Largo do Colégio para a realização de um evento do Partido Socialista, em que o convidado de honra era o Primeiro-ministro e Secretário-Geral do PS, Dr. António Costa.

Alexandre da Silva lembrou ainda as palavras do presidente da Autarquia quando afirmou que se candidatava para cumprir o seu mandato até ao fim, quando dois meses depois voltou com a palavra atrás.

Mais tarde “[o presidente da CMF] imbuído de um espírito de impunidade extrema, em dezembro de 2018, na sede da Junta de Freguesia de São Pedro, reuniu publicamente com cidadãos, militantes e autarcas socialistas, sob a égide dos ‘Estados Gerais’, um mau exemplo da utilização de umas instalações públicas, para a realização de um evento partidário.”

Alexandre da Silva apontou também a posição tomada por partidos que suportavam a coligação e que neste momento se afastaram por não se reverem na governação do edil, exemplificando com o Nos Cidadãos ou o JPP.

“As funções do Presidente da Câmara do Funchal são cada vez menores, delega a governação no seu vice-presidente e vereadores, não se lhe conhece nenhuma intervenção pública sobre os grandes problemas da autarquia”, concluiu.