• bannerSitePSDM3jan2020.jpg
Notícias
  Terça, 12 Fevereiro 2019

A redução da retenção na fonte do IRS para os trabalhadores e pensionistas Madeirenses e Porto-Santenses pode atingir os 33%, graças às políticas económica e financeira implementadas pelo Governo Regional da Madeira.

“Ao baixar significativamente o IRS haverá, de imediato, um aumento do rendimento disponível das famílias, um aumento do consumo, contribuindo para o aquecimento e desenvolvimento sustentável da economia regional”, sublinhou Manuel Deus Fortuna, lembrando que a diminuição dos impostos também se estende às empresas.

Para o economista e presidente da Secção Laboral Tributária e Aduaneira dos TSD-Madeira, o alívio da carga tributária real dos trabalhadores, dos pensionistas e das empresas na Região só é possível graças “às boas políticas económicas e financeiras” desenvolvidas pelo executivo de Miguel Albuquerque, no âmbito “das boas práticas na execução orçamental e do crescimento sustentado”. Algo que reflete a sustentabilidade das finanças públicas da Madeira, originando um esforço financeiro de cerca de 16 milhões de euros.

A redução dos impostos também terá efeitos positivos nas empresas. O especialista destaca o aumento da competitividade e produtividade da economia regional, o que irá “beneficiar todos os madeirenses”, através do “aumento da criação de novos postos de trabalho” e da consequente “diminuição da taxa de desemprego”.

Manuel Deus Fortuna constata que os trabalhadores, funcionários e empresas da Região Autónoma da Madeira são “claramente mais beneficiados quando comparados com os do Continente português”. Assim, “Os TSD-Madeira congratulam-se com a política que tem vindo a ser implementada ao longo dos últimos anos pelo Governo Regional da Madeira, de reduzir a carga tributária, em especial para os trabalhadores e pensionistas com baixos rendimentos, bem como das empresas.”