• bannerSitePSDM3jan2020.jpg
Notícias
  Quinta, 24 Janeiro 2019

A vereação da PSD na Câmara Municipal do Funchal (CMF) mostrou hoje a sua preocupação com a criação de uma Polícia Municipal pela Autarquia, alertando que os custos irão recair sobre os munícipes e comerciantes do concelho.

Já foram solicitados o estudo de viabilidade e o acordo com a Administração Interna, que o executivo da Confiança diz ter, para a constituição da Polícia Municipal, mas até o momento os documentos ainda não foram disponibilizados às restantes forças políticas com assento na CMF.

“Não conhecemos qual é o estudo nem protocolo que existe com a Administração Interna, que possa de alguma forma apoiar à instalação de uma polícia desta natureza”, apontou a vereadora social-democrata, após a Reunião de Câmara que decorreu hoje.

Rubina Leal quer saber se vale a pena ter mais uma polícia, num território de apenas 77 km2, quando já existem outros órgãos de fiscalização, nomeadamente a PSP, a GNR, as Finanças, a Polícia Marítima ou os guardas-noturnos.

“Aquilo que nós queremos saber é qual é o custo/benefício de mais uma polícia numa Cidade como a nossa, sabendo que só tem competências, no âmbito administrativo”, ou seja, são “serviços de fiscalização municipal que já existem”.

Por isso, alertou a autarca, a despesa do Município com a Polícia Municipal irá recair sobre os munícipes. “Porque uma Polícia Municipal tem muitos custos, que têm a ver com a sua instalação, com os equipamentos, com viaturas, com manutenção, com o quartel.”