• bannerSitePSDM3jan2020.jpg
Notícias
  Domingo, 20 Janeiro 2019

O XVII Congresso do PSD/M foi “um Congresso de sucesso”, disse João Cunha e Silva, na sessão de encerramento da reunião magna dos sociais-democratas madeirenses, sublinhando que neta reunião “não houve importações típicas do antes do 25 de abril e da conquista da Autonomia.”

“Aqui não vem ninguém de fora explicar-nos como devemos fazer. Aqui sabemos o caminho a seguir, sem subserviências bacoca dos tempos que já lá vão”, sublinhou o Presidente da Mesa do Congresso, garantindo que todos sairão mais fortes e preparados para os desafios que aí vêm.

Referindo que o PSD/M é o “representante genuíno do povo”, “o guardião da Autonomia” e o “impulsionador do desenvolvimento da Região”, Cunha e Silva sublinhou que o Partido para continuar a vencer precisa de união, grande determinação e empenho.

Constatando que muito se fala em mudança, frisou que a verdadeira mudança que conta, são as condições de vida dos madeirenses. “Essa mudança temo-la feito ao longo dos anos, e continuaremos a promove-la, de acordo com a vontade do Povo em cada sítio, freguesia e concelho.” João Cunha e Silva acredita, assim, na vitória do PSD/M nas regionais.

Homenageando os fundadores do Partido, em especial Alberto João Jardim, que transformou a Madeira, fazendo-a emancipada e desenvolvida, elogiou todos os parlamentares e todos os autarcas, os que venceram e que perderam. “São tão bons para nós os que, com todo o mérito, venceram eleições, como os que mesmo perdendo, prestaram um inestimável serviço ao nosso Partido, quantas vezes em circunstâncias muito difíceis.”

Cunha e Silva terminou dirigindo-se a Miguel Albuquerque: “Ao lado do nosso líder regional, aqui está mais um soldado ao dispor para alinhar nas três batalhas que se avizinham. Sei que as vencerás.”