• bannerSitePSDM3jan2020.jpg
Notícias
  Sábado, 19 Janeiro 2019

Jaime Filipe Ramos considera que este é o momento de o PSD provar que tem o melhor projeto para a Madeira e de fazer com que o eleitorado da Madeira perceba que tem os melhores quadros e saiba distinguir as soluções regionais, que têm sido implementadas de forma útil, das propostas que nada têm a ver com a Região e que são desajustadas da nossa realidade, por parte de quem nos tenta impingir modelos ou cópias nacionais erradas".

"O PSD não tem que ter medo ou estar preocupado com os adversários e muito menos deverá dar importância aos militantes que preferem atacar o PSD ao serviço dos nossos adversários, temos que estar sim concentrados na nossa proximidade com a população".

"Esta é a hora de ajudar o PSD, ganhamos todos ou perdemos todos, mas tenho a certeza que, se estivermos todos juntos, vamos ganhar", acrescentou.

O lider parlamentar salientou que hoje assistimos a tempos novos, a discursos populistas, mas cima de tudo assistimos a políticos farsantes que tudo falam, mas que nada dizem.

"A política até pode estar diferente, mas certamente que o eleitorado não quer uma política do vazio e da mentira, onde o post ou a fotografia têm mais força do que as ideias e as convicções", disse.

Por isso, considera que, em 2019, a escolha é simples: "O povo da Madeira terá que escolher entre uma política da verdade ou uma política da mentira".

E deu três exemplos dessas duas políticas. Da verdade, é que desde 2015, o Governo do PSD reduz os impostos às famílias. Da mentira é dizer aos portugueses que acabou a austeridade quando temos um Governo que em 2018 teve o recorde de impostos dos últimos 23 anos.

Da verdade porque a Madeira terá em 2019 o maior orçamento de sempre para a saúde. De mentira quando se quer esconder que o continente está bem pior do que a Madeira, com mais de 700 mil portugueses em lista de espera e onde só num ano morreram 2.605 pessoas à espera de cirurgia.

De verdade porque desde 2016 que o PSD exige uma melhor política de mobilidade aérea e marítima para a Região. De mentira quando se é contra o ferry, depois vai-se aguardar o navio em Portimão prometer a comparticipação do Estado e depois à Madeira para apenas anunciar mais um estudo e uma eventual solução para além de 2020.

Por isso, deixou a questão: Os madeirenses querem quem fale a verdade ou preferem quem recorre à mentira, fugindo ao compromisso e à realidade?

Da parte do grupo parlamentar, Jaime Filipe Ramos assegurou o total empenho aos desafios que o partido tem pela frente, garantindo que todos juntos estarão na primeira linha da Autonomia e serão os primeiros a defender a Madeira e os Madeirenses.