• bannerSitePSDM3jan2020.jpg
Notícias
  Sábado, 19 Janeiro 2019

O PSD/Madeira “jamais se demitirá de defender, encontrar respostas, criar ferramentas e medidas que respondam aos anseios e interesses legítimos dos cidadãos europeus das Regiões Ultraperiféricas” por isso tem de continuar a ser uma voz forte na europa. As declarações foram de Cláudia Monteiro de Aguiar, durante a apresentação da Moção Temática, intitulada “Desbloquear o potencial das Regiões Ultraperiféricas”, no XVII Congresso Regional do Partido.

A eurodeputada quer um PSD/M com uma voz que continue a responder à dupla insularidade através de instrumentos financeiros, como o ‘Mecanismo Interligar a Europa’, uma voz que insista que o apoio para responder às necessidades dos aeroportos regionais e às ligações marítimas tem de emergir através dos Fundos de Coesão e de Desenvolvimento. Uma Voz que resista a pressões e que garanta que através do Fundo de Pescas se consiga a renovação da nossa frota.

Cláudia Monteiro Aguiar, lembrou que a Madeira esteve na linha da frente na implementação da Política Europeia para o Turismo, porque não esqueceu esta atividade económica e o impacto que tem em termos de emprego e desenvolvimento da Região, defendendo que há que continuar a exigir ajudas de Estado e serviços de interesse geral, mais flexíveis e adaptados à ultraperiferia.

Por isso, referiu a social-democrata, “não podemos aceitar a redução de taxas de co-financiamento nos novos quadros financeiros (…). Queremos que o Fundo Social Europeu seja um adicional ao FEDER, de modo a compensar os sobrecustos das Regiões Ultraperiféricas. Temos de continuar a dizer não aos cortes na política agrícola comum e sim à dimensão regional nos Planos Estratégicos do segundo pilar da Política Agrícola.”

E não menos importante, defendeu uma Europa para os Jovens, “melhorando ferramentas que os apoiem na formação mas também no desenvolvimento dos negócios.”

Monteiro Aguiar falou sobre uma União complexa, com dinâmicas internas e externas cada vez mais intensas. Por isso alertou que há que “atacá-las de frente” e denunciar um PS que não zela pelos interesses da Madeira, dos Madeirenses, dos Portos- Santenses.

“É uma vergonha! Um PS que ataca diariamente a Madeira e os madeirenses ao comparar o Centro de Negócios a paraísos fiscais, como o Panamá e Malta.” Um PS “camaleão na Europa” que “inverteu o seu sentido de voto para apoiar a modernização e renovação da frota de pesca”, denunciou.

Sublinhando que não é só este PS, mas também os partidos que suportam o governo da República e com assento no Parlamento Europeu que nos envergonham, a eurodeputado insiste na denúncia. “Envergonham-nos quando votam contra a Madeira, quando levantam a mão em votos contra Portugal.”.

Na moção temática Cláudia Monteiro Aguiar defendeu que O PSD/Madeira deve continuar a comprometer-se ativamente na construção do projeto europeu” e não pode de forma alguma “demitir-se de, junto do Partido Popular Europeu, ter voz ativa e fortes aliados na defesa intransigente de políticas que impactam a Ultraperiferia.”

Cláudia Monteiro Aguiar alerta que “perante o contínuo e crescente apagamento de valores europeus”, urge “reafirmar princípios” e colocar em cada ação política, a dignidade humana e a solidariedade no centro das atenções. “Só desta forma a Ultraperiferia e a Madeira poderá ser garantia e braço armado de uma Europa mais justa, mais solidária, mais desenvolvida”, sublinha na moção.

No que respeita às frotas pesqueiras, a eurodeputada refere na moção temática que o PSD deve exigir “não só a possibilidade de ajudas de estado para a renovação das frotas das RUP, mas também a possibilidade de subvenções do FEAMP. Devemos, ainda, exigir a Autonomização do POSEI Pescas”.

Cláudia Monteiro de Aguiar sai também em defesa da Zona Franca. “Importa continuar a protecção do Centro Internacional de Negócios da Madeira, onde o PSD (…) deve manter uma postura de defesa acérrima da Zona Franca, que desempenha um papel estrutural na economia regional e de incontestável importância para o desenvolvimento futuro da Madeira.”

Moção 'Desbloquear o potencial das Regiões ultraperiféricas'