• bannerSitePSDM3jan2020.jpg
Notícias
  Sábado, 19 Janeiro 2019

‘Autonomia e Mobilidade: Continuidade territorial aérea’ é o título da moção temática apresentada este sábado no no XVII Congresso Regional do PSD/M por Rubina Berardo.

“Esta proposta temática elege os transportes aéreos como objecto central, devido às problemáticas que a nossa população se tem confrontado, seja devido aos constrangimentos aeronáuticos da Madeira, seja devido às práticas comercias de algumas companhias aéreas que insistem em práticas de preços pornográficos”, explicou aos congressistas a primeira subscritora da Moção Temática ‘Autonomia e Mobilidade: Continuidade Territorial Aérea, Rubina Berardo.

Lembrando que para os madeirenses não existem alternativas ao transporte aéreo, Rubina Berardo constata que o Estado teima em não respeitar o princípio da continuidade territorial, ao não comparticipar a ligação marítima entre a Região e o Continente, obrigando o Governo Regional a assumir a linha ferry, durante o verão, para que a população tenha soluções.

Na moção destaca, também, o “esforço considerável” do Governo Regional, ao adiantar o valor das passagens aéreas aos estudantes madeirense, que actualmente pagam o preço do subsídio de mobilidade de 65€.

A operacionalidade do Aeroporto da Madeira foi outro dos temas apresentados, com Rubina Berardo a recordar os sucessivos cancelamentos de voos, os atrasos e o impasse na questão dos limites dos ventos. Uma problemática que afeta também a imagem do destino Madeira.

A social-democrata exige o “cumprimento cabal por parte da ANAC da resolução da Assembleia Legislativa da Madeira” para que os limites de vento passem de obrigatórios para recomendações.

À NAV (Navegação Aérea), a recomendação é de mais investimentos para a aquisição de equipamentos de forma a obter mais informações acerca da operacionalidade do Aeroporto da Madeira.

Por todas estas problemáticas, o PSD exige a “inclusão de dois membros no conselho de administração da TAP designados pelas regiões autónomas da Madeira e dos Açores".

Moçao ‘Autonomia e Mobilidade: Continuidade territorial aérea’