• bannerSitePSDM3jan2020.jpg
Notícias
  Terça, 11 Dezembro 2018

São boas notícias para as regiões que beneficiam do programa de financiamento comunitário LIFE: o Parlamento Europeu aprovou hoje, em Estrasburgo, a duplicação do orçamento do programa para próximo Quadro Financeiro Plurianual (QFP) 2021-2027. Sendo assim, o ‘budget’ que no atual período é de 3,4 mil milhões de euros, passará a contar com um valor na ordem dos 6,4 mil milhões para projetos que contribuam para o ambiente e o combate às alterações climáticas.

A proposta da Comissão Europeia já era boa – contemplava um aumento que ascendia aos 5,4 mil milhões de euros –, mas aprimorou-se na discussão no Parlamento Europeu.

Em termos práticos, isto significa um montante maior para apoiar ainda mais projetos ambientais, de conservação da natureza e de ação climática, como é o caso de vários projetos apresentados pela RAM, como a ‘Recuperação e conservação de espécies e habitats do maciço montanhoso central da Madeira’ submetido pela Direção Regional de Florestas e Conservação da Natureza, por consequência do incêndio de grandes proporções que afetou a Ilha da Madeira em Agosto de 2010 e destruiu aproximadamente 80% da Zona de Proteção Especial do Maciço Montanhoso Oriental, afetando uma parte significativa da fauna, flora, vegetação e habitats da região.

As entidades regionais candidataram-se e viram aprovado o apoio em cerca de 600 mil euros, provenientes deste instrumento financeiro da UE.

Outro projeto regional apoiado foi o ‘LIFE Ilhéus do Porto Santo’, onde o principal objetivo foi o de remover as ameaças aos ecossistemas naturais da Natura 2000 das ilhotas do Porto Santo e melhorar o estado de conservação das espécies endémicas da região.

Desde que foi criado em 1992, o LIFE já apoiou 31 projetos na RAM ou em que a Região era uma das parceiras. “O aumento do orçamento deste programa é uma ótima notícia para a Madeira e um contributo para a diminuição da pegada humana. A Madeira, infelizmente, foi fustigada pelos fogos nos últimos anos e, por exemplo, o apoio para o Maciço Montanhoso Oriental, como os apoios para outros projetos, ajudam a restaurar o equilíbrio nas nossas serras e a olhar para o futuro. Sim, porque cuidar da nossa natureza e da nossa biodiversidade é cuidar do futuro da nossa Região”, referiu a Eurodeputada Madeirense, Cláudia Monteiro de Aguiar.

Este relatório, o primeiro do próximo QFP a ser aprovado em Plenário, segue agora para as negociações entre o Parlamento e os Governos nacionais.