• bannerSitePSDM3jan2020.jpg
Notícias
  Terça, 13 Novembro 2018

A deputada Sara Madruga da Costa considera que "podemos, neste momento e após a primeira semana de debate do Orçamento do Estado na especialidade, retirar duas grandes conclusões: há uma flagrante diferença de tratamento por parte do Governo da República em relação às duas regiões autónomas e há uma clara estratégia eleitoralista de não resolver ou desbloquear os assuntos da Madeira”.

Convidada a falar sobre os 'Desafios da Assembleia da República', numa conferência realizada, ontem, na sede de Santa Cruz, a deputada disse estarmos "perante um Orçamento do Estado que discrimina e trata de forma diferente a Madeira em relação aos Açores", havendo "uma preocupação em evidenciar o investimento nos Açores e em omitir ou arranjar desculpas para a falta de investimento ou de verba para a Madeira no Orçamento".

Uma das situações apontadas por Sara Madruga da Costa, e que classificou mesmo de "caricata", foi a falta de resposta do ministro do Ensino Superior em relação à necessidade de reforço do financiamento da Universidade da Madeira e a prontidão em despachar um reforço pontual de financiamento para a universidade dos Açores, ainda antes do início da audição no parlamento.

Outro exemplo referido pela deputada foi a falta de consagração de verba para as esquadras da PSP da Madeira, quando haverá um investimento em três esquadras da PSP dos Açores. Ainda ao nível da segurança, lembrou o reforço de 40 efetivos da PSP para os Açores e de apenas 6 para a Madeira.

"Estes são exemplos bastante concretos e reveladores de um inaceitável tratamento diferenciado entre as duas regiões autónomas”, afirmou.