• bannerSitePSDM3jan2020.jpg
Notícias
  Segunda, 12 Novembro 2018

As esquadras da PSP (Polícia de Segurança Pública) na Madeira estão fora do Orçamento de Estado para 2019, ao contrário das esquadras dos Açores. A denúncia foi feita por de Sara Madruga da Costa, que acusou Lisboa de tentar “enganar e ludibriar os madeirenses” com falsas promessas, após ter reunido hoje (segunda-feira) com o coordenador da ASPP/PSP – Associação Sindical dos Profissionais da Polícia.

“Em maio [deste ano] o ministro da Administração Interna esteve na Madeira e comprometeu-se com um investimento de 3,5 milhões de euros nas esquadras da PSP na Madeira”, mas na verdade é que “este Orçamento não comtempla um único cêntimo para as esquadras da PSP da Região”, alertou a deputada do PSD/Madeira na Assembleia da República, “mas contempla um investimento para três esquadras da PSP nos Açores.”

Recorde-se que o PSD tem vindo a alertar a república, nos últimos três anos, para as péssimas condições das esquadras da Região, nomeadamente a do Porto Santo, uma das piores do País, a da Ponta do Sol, onde houve uma derrocada, a da Calheta, onde chove dentro, e para as de Santa Cruz, Machico e Ribeira Brava.

A discriminação entre as Regiões Autónomas também é visível no que respeita ao número de agentes afetos à Madeira e aos Açores. “O senhor ministro dota os Açores de 40 novos efetivos, e apenas de 6 para a Madeira quando de acordo com a ASPP/PSP são necessários 50 novos agentes na Madeira”, algo que Sara Madruga da Costa não consegue compreender, uma vez que “a carência na PSP da Madeira é bem conhecida” pelo Governo Central.

Outra questão que os deputados do PSD/M na Assembleia da República (AR) se têm debatido nos últimos três anos é a necessidade de consagrar um subsídio de insularidade aos agentes da PSP na Madeira. Apesar do ministro Eduardo Cabrita não ter respondido à questão, a parlamentar garante que o PSD/Madeira irá continuar a insistir na AR nesta reivindicação “mais do que justa”.

Para Sara Madruga da Costa, “o que podemos concluir destes três exemplos em matéria de Administração Interna na Madeira e em matéria de PSP, é que mais uma vez o Governo da República tenta enganar e ludibriar os madeirenses, ao prometer investimentos em esquadras para 2019 que não está contemplado no Orçamento, ao prometer mais efetivos da PSP e a não consagrar esse efetivo, e ao recusar-se a consagrar o subsídio de insularidade a todos os agentes da PSP da Madeira.”