• Capa_abril_Site-100.jpg
Notícias
  Quinta, 6 Setembro 2018

Um mês depois do exeutivo da Câmara Municipal do Funchal ter suspendido os trabalhos da vereação, o PSD assinalou o início dos trabalhos com a entrega de um documento ao atual presidente da Autarquia, onde, ponto por ponto, percorre as ações e iniciativas desenvolvidas pelas anteriores vereações dos sociais-democratas naquele Concelho. O documento surge como resposta oficial ao discurso proferido pelo edil no dia 21 de agosto, durante a cerimónia do Dia da Cidade.

“O passado não se pode apagar, nem será apagado”, lê-se no documento assinado pelos membros da vereação do PSD, onde são elencadas as ações e as iniciativas desenvolvidas em áreas como o Social, a Habitação, o Ambiente, a Educação, a Cultura, a Ciência, a Proteção Civil, as Obras Públicas e as Acessibilidades.

Nas vereações dos social-democratas oram constuídos 1.200 fogos habitacionais, abertos 14 centros comunitários, sete ginásios municipais,  e dinamizados outros sete pólos de leitura.

Nas obras públicas e Acessibilidades, os vereadores do PSD lembram a construção da Cota 40, da promenade na frente mar do Funchal, da ciclovia, a requalificação e criação de complexos balneares (Lido, Barreirinha, Ponta Gorda, entre outras) a reabilitação das Zonas Altas e da Zona Velha da Cidade, e ainda a criação de 17 mil lugares de estacionamento.

De destacar o investimento na Educação e na Cultura – Funchal Jazz, Feira do Livro, Festival de Cinema e renovação do Teatro Baltazar Dias, Universidade Sénior, biblioteca municipal no Edifício 2000, reconversão das escolas do 1º ciclo a tempo inteiro. Ao nível ambiental a vereação social-democrata recorda o atual presidente da CMF a aposta realizada, que se traduziu no aumento do Parque Ecológico em 1.200 hectares, na criação de 600 hectares de novos espaços verdes em zona urbana  e na criação de 514 hortas urbanas.

“Somos uma Cidade com história, com um passado do qual todos nos devemos orgulhar”, e se o município cresceu e ganhou a forma que hoje lhe conhecemos foi graças “ao esforço de gerações de funchalenses” e ao “progresso conseguido pelos sucessivos executivos social-democratas.”

Para o PSD/Funchal não reconhecer e, mais grave, desconsiderar o trabalho realizado pelos antecessores do atual executivo é sinónimo de “desprezo” e de “desrespeito” pela população do Funchal, referiu a vereadora Rubina Leal. Por isso acusa o autarca da Coligação de se negar a constatar aquilo que é “inegável e indesmentível”, numa “tentativa inglória de apagar o passado, de negar os méritos a quem os tem e de propagandear, em causa própria, os louros de feitos que não são seus.”

Durante os executivos do PSD, o Funchal foi considerada a cidade mais limpa do país, a cidade mais verde a nível nacional, o 5º melhor município para viver, uma cidade galardoada como familiarmente responsável. “Não somos nós que dizemos. Foram as organizações oficiais credíveis a nível nacional e internacional que o confirmam à época”, termina o documento que será entregue hoje a Paulo Cafôfo durante a Reunião Ordinária de Câmara.