• Capa_abril_Site-100.jpg
Notícias
  Quinta, 26 Abril 2018

Cláudia Monteiro de Aguiar, eurodeputada do PSD, questionou no passado dia 24 a Comissão Europeia, com carácter de urgência, da existência de financiamento ou das possíveis soluções para situações idênticas àquela que se vive no Aeroporto Internacional da Madeira - Cristiano Ronaldo.

Há vários meses que centenas de voos e de passageiros “de” e “para” o Aeroporto Internacional da Madeira são afetados com frequentes cancelamentos e desvios para outros aeroportos devido aos ventos fortes provocados pelas alterações climáticas, que originam turbulência e impedimentos de aterragem e descolagem, face aos limites obrigatórios existentes.

Esta situação tem causado constrangimentos para milhares de turistas que visitam a ilha, tem impedido deslocações de residentes bem como prejudicado a economia e o comércio da região.

A Deputada do PSD, membro da Comissão de Transportes no Parlamento Europeu, questionou a Comissão Europeia: 1. A que financiamento pode recorrer um Estado Membro para dotar as infraestruturas aeroportuárias das RUP com meios técnicos e tecnologia mais avançada para responder ao problema mencionado, em caso de não existência que solução apresentará para o pós-2020? 2. Que tecnologias e equipamentos existem nos aeroportos de e fora da União? 3. Prevê alguma iniciativa tendo em conta que estes fenómenos nas RUP têm aumentando em frequência e intensidade?

Cláudia Monteiro de Aguiar critica “o Governo da República é conhecedor desta situação há já tempo suficiente. Existem estudos e peritos que demonstram que é possível encontrar solução a curto prazo. Enquanto Governo de Portugal tem a obrigação de zelar pelos interesses das suas Regiões Autónomas e Ultraperiféricas. Nesta como em outras situações está a colocar interesses político-partidários acima dos interesses da população. É lamentável e é de um desrespeito tremendo, de uma desresponsabilização gravosa.”

Para a Deputada do PSD “ainda que seja dada uma resposta de não existência de financiamento direto, quando há vontade, a força política para resolução de problemas junto das mais altas instâncias europeias torna possível o fazer acontecer. Estamos também falar da gestão do espaço aéreo europeu e nesse âmbito será essencial propor, desde logo, uma solução no próximo quadro financeiro, pós 2020 que permita preencher lacunas existentes e verificadas”.

Enquanto aguarda a resposta, Cláudia Monteiro de Aguiar está já em contactos para reunir com entidades da União Europeia para encontrar possíveis e imediatas respostas para apoiar os aeroportos das Regiões Ultraperiféricas e que medidas poderá providenciar junto das instituições europeias.