• Capa_abril_Site-100.jpg
Notícias
  Sexta, 23 Fevereiro 2018

A Proposta apresentada pelo PSD ‘Por uma política de estacionamento ao serviço dos funchalenses e da revitalização do comércio local’ foi hoje aprovada em reunião de Assembleia Municipal, com os votos favoráveis do PSD, do PTP, da Nova Mudança e da CDU e com a abstenção do CDS.

Os deputados municipais defenderam uma estratégia inovadora para os estacionamentos municipais do Funchal, com vista a dar um novo impulso ao comércio tradicional da Cidade.

A proposta dos sociais-democratas passa por duas vertentes. Por um lado, uma isenção aos sábados por um período de duas horas do pagamento do estacionamento nos parquímetros geridos pelo Município. Por outro, alargar o funcionamento dos parques de estacionamento cobertos municipais aos sábados, domingos e feriados até as 19h00.

Tudo isto, explicou o deputado municipal, Alexandre Silva, numa lógica de revitalizar o comércio local e tradicional, em articulação com esses agentes económicos. É também, considerou, uma forma de servir os automobilistas que têm cada vez mais dificuldades em estacionar no Funchal.

“Um dos capítulos fundamentais da política de mobilidade de qualquer cidade, passa pela implementação de uma estratégia para o estacionamento, que abranja não só os parques cobertos mas também os parquímetros, e que, em nosso entender, deve assentar em dois pilares fundamentais: a necessidade dos cidadãos e a revitalização do comércio local”, argumentou.

Trata-se de 1533 lugares de estacionamento tarifado na via pública, distribuídos em quatro zonas e obedecendo a tarifários distintos, e de 1400 lugares em parques de estacionamento públicos municipais.

Um total de quase 3.000 lugares de estacionamento geridos pela Câmara Municipal do Funchal que estarão, a partir de agora ao serviço da população, servindo de estímulo para a revitalização do comércio local.

Alexandre Silva lembrou que “a acessibilidade e a mobilidade de pessoas e mercadorias são um dos pontos-chave das políticas urbanas”, constituindo um desafio central para as cidades, numa lógica de sustentabilidade dos territórios e de equilíbrio económico, social e ambiental.

O PSD congratula-se, assim, com a aprovação desta proposta há muito reivindicada pelos sociais-democratas.