• Capa_abril_Site-100.jpg
Notícias
  Sexta, 11 Agosto 2017

No âmbito das ações que a candidatura do PSD/Porto Santo às próximas autárquicas, liderada por Idalino Vasconcelos, Fátima Silva e Joselina Melim, tem vindo a efetuar ao longo das últimas semanas, os candidatos aos vários órgãos deslocaram-se à "Casa da Serra", um importante símbolo do património do Porto Santo e contactaram o seu proprietário, com o intuito de abordar o tema "património".

O Porto Santo é uma ilha com quase 600 anos de história e apresenta grandes exemplos da resiliência do nosso povo. É de elevada justiça que se faça a devida homenagem aos nossos antepassados, como forma de devolver às futuras gerações, aquilo que fomos e de onde viemos, para que nunca nos esqueçamos da nossa identidade e das nossas raízes. A candidatura do PSD/Porto Santo considera que o esforço efetuado pelo proprietário da "Casa da Serra", à semelhança de outros exemplos conhecidos na ilha, na recuperação do imóvel, é um exemplo do que se poderá fazer a nível de recuperação do nosso património e da nossa identidade.

Por seu turno, o mandato socialista que agora chega ao fim, caracterizado por constantes conflitos internos e externos, de rompimentos com elementos do próprio staff do executivo da câmara municipal, quer a nível de vereação, quer a nível do gabinete do presidente, teve como consequência a enorme instabilidade política da instituição câmara e sua credibilidade, o que tornou a nossa ilha, um mau exemplo, ao longo dos últimos 4 anos. E quando uma Câmara se encontra num clima contínuo de atrito e fricção com todos, não há tempo para o que realmente importa à população, isto é, na defesa dos seus interesses. Assistimos a 4 anos de promessas não cumpridas e se fizermos um exercício, constataremos que ficou pelo caminho a promessa da recuperação de uma Casa de Salão, símbolo da nossa identidade. No entanto, julgamos importante, o esforço feito pelos homens da câmara na recuperação de um fontanário. Mas, para um município, é manifestamente insuficiente.

É preciso mais, e com mais verdade. Se quisermos ver os reflexos da nossa identidade, para que possamos ser únicos, num mercado que é global, teremos de investir verdadeiramente na nossa história e no seu património.

A candidatura do PSD/Porto Santo, após ter ouvido, intervenientes nesse sector, bem como os habitantes e os seus candidatos das listas autárquicas, com o intuito de propor melhorias que possam servir o nosso manifesto, na área do património, considera que não há uma estratégia autárquica neste domínio, que mobilize os residentes e os empresários, porque há uma fraca liderança por parte do presidente da Câmara, que negligencia, de forma grosseira o nosso património.

Numa Câmara Municipal do Porto Santo liderada pelo Partido Social Democrata apostaremos fortemente na conservação e recuperação do nosso património, quer seja cultural ou arquitetónico, caraterizado pelas nossas tradições seculares. É para nós, fundamental, não esquecer os moinhos, as matamorras, as noras e os fornos da cal, bem como a promoção e recuperação dos muros de proteção de pedra, das nossas vinhas e zonas agrícolas. Iremos valorizar o nosso Folclore, património cultural e identitário do Porto Santo, de forma a promovê-lo e perpetuar as nossas raízes.