• banner2018.jpg
  • bannerSItePSDMconselhoOut2017_5.jpg
  • bannerSItePSDMconselhoOut2017_1.jpg

O grupo parlamentar do PSD lamentou que algumas das casas afetadas pelos incêndios de agosto de 2016 não possam ser recuperadas devido a critérios pouco claros da Câmara Municipal do Funchal. "Existem situações perfeitamente incompreensíveis e era bom que essas situações fossem esclarecidas, nomeadamente por parte da Câmara Municipal do Funchal", afirmou o deputado Carlos Rodrigues, numa visita à freguesia de S. Roque, no âmbito das Jornadas Locais no Funchal.

Uma dessas situações acontece na encosta acima da Horários do Funchal, onde no mesmo prédio, duas habitações tiveram autorização de recuperação, o mesmo não acontecendo com outras duas, que se encontram encostadas, alegadamente por estarem em zona não edificável e de risco máximo. "O que nós não compreendemos é esta dualidade de critérios, que deve ser explicada, essencialmente, às pessoas que habitam nestas casas, uma vez que vêem os vizinhos que estão no mesmo complexo habitacional a terem a sua situação resolvida e eles a serem obrigados a se deslocarem e a serem realojados noutras zonas", referiu Carlos Rodrigues.

O deputado realçou o trabalho que tem sido realizado na freguesia de S. Roque pela Junta de Freguesia e pela Associação ASA, com o apoio de diversas outras associações de solidariedade social e pela paróquia local, "o que demonstra que quando todo este esforço é feito em sintonia e em perfeita sincronização entre todas as instituições os problemas acabam por ser resolvidos de uma forma rápida e eficaz".

Em S. Roque foram apoiadas 75 habitações em termos de recuperação, faltando apenas resolver cinco casos devido a situações como a que foi apontada.

No segundo dia de Jornadas Locais, os deputados do PSD visitaram ainda as freguesias do Monte e de Santa Maria Maior.