• 1bannerSitePSDM19jun2018.jpg
  • 35227974_10216705850468501_2142540222246682624_n.jpg
  • bannerSitePSDM23mar2018rui.jpg
  • topofaceCompromissoMadeira2018

O deputado Carlos Rodigues afirmou que o Orçamento de Estado para 2017, entregue na Assembleia da República no dia 14 de outubro, resulta numa "enorme desilusão", no que diz respeito às pretensões da Madeira.

Em conferência de imprensa, o deputado social-democrata sublinhou que, não só os apoios prometidos na sequência dos incêndios ficaram "aquém dos compromissos assumidos" como não está prevista qualquer verba para o novo hospital da Madeira. "Existem muitas pessoas o tentarem justificar aquilo que não é passível de ser justficado", salientou Carlos Rodrigues, adiantando que todos os intervenientes no panorama político foram unanimes quanto à prioridade de construção dessa nova infraestrutura hospitalar. Da parte do Governo Regional já estão garantidas as verbas da parte que lhe diz repeito e as Assembleias, tanto a Regional como da República, aprovaram iniciativas a reconhecer a necessidade do novo Hospital. O mesmo aconteceu relativamente ao Primeiro-Ministro, que na visita à Região, urgiu o Governo a apresentá-lo como projeto de interesse comum, o que foi feito, dentro do prazo e com os elementos necessários. 

Contudo, ainda assim o Governo da República excluiu esta obra das prioridades do Estado, levando à desilução não apenas dos partidos como de "todos os madeirenses".

Nesse sentido, o deputado diz que o PSD não vai aceitar que "essa desilução seja apontada por alguns como histerismo", acrescentando que esta matéria não é "uma questão partidária" nem deve ser reduzida a "politiquices de segunda". Trata-se sim de uma vontade e  de uma necessidade dos madeirenses.

Carlos Rodrigues espera por isso que "o bom senso prevaleça por quem de direito" para que essa inscrição possa ser feita em sede de discussão do Orçamento, de modo a honrar os compromissos assumidos".