• 1bannerSitePSDM19jun2018.jpg
  • 35227974_10216705850468501_2142540222246682624_n.jpg
  • bannerSitePSDM23mar2018rui.jpg
  • topofaceCompromissoMadeira2018

O líder parlamentar do PSD, Jaime Filipe Ramos, afirmou hoje que a "Madeira é pioneira no orçamento participativo", pois "há mais de 30 anos" que o coloca em prática. "Quero lembrar que os programas de Governo do PSD sempre foram discutidos nos adros das igrejas, junto das populações", as quais puderam "participar ativamente".

Na discussão de uma proposta do Bloco de Esquerda, Jaime Filipe Ramos sublinhou que o que pretende a oposição é apenas "institucionalizar aquilo que já é uma realidade" porque a "característica do PSD sempre foi ouvir a população, estar próximo dela, saber o que é que era importante e o que é que em cada momento as pessoas preferiam".

"Para nós ouvir a população é um processo constante, não é um processo de moda, da época ou de promoção e de marketing", sublinhou, acrescentando que o PSD quando ouve a população não precisa aparecer "ao lado na televisão e a rir no Facebook". 

"As coisas quando são naturais, são normais", afirmou o líder parlamentar, sublinhando que não deve ser feito "show daquilo que devia ser uma constante". "Eu só estranho  quando é necessário fazer publicidade de algo que devia ser obrigação diária de um deputado ou de um governante, que é ouvir a população".

Mas mais estranho sublinhou, é o Estado estar a "usar a suposta ação da população para fazer aquilo que já era a sua obrigação", oq ue não pode ser "o objetivo de um orçamento participativo".

É o mesmo que o Governo Regional colocar no Programa do Governo uma estrada na Boaventura e em vez de colocar no PIDDAR ir ouvir a população e depois colocar no orçamento participativo. "Então isto não é uma burla? É uma farsa". "Nós queremos orçamento participativos mas não é para substituir aquilo que já é do Estado", adiantou.