• 1bannerSitePSDM19jun2018.jpg
  • 35227974_10216705850468501_2142540222246682624_n.jpg
  • bannerSitePSDM23mar2018rui.jpg
  • topofaceCompromissoMadeira2018

A deputada Josefina Carreira afirmou hoje que "o investimento público regional na ciência, com o apoio fundamental dos fundos europeus, vale a pena porque traz grande retorno à Região, em várias áreas, nomeadamente na área do mar", considerada pelo grupo parlamentar do PSD "estratégica para a Madeira".

O exemplo disso é o Centro de Maricultura da Calheta visitado hoje pelos deputados social-democratas, no âmbito das jornadas que estão ser desenvolvidas sob a temática do 'Mar - domínio do conhecimento e da investigação".

A deputada referiu que o Centro foi instalado na Calheta em 2000, mas "resulta de um trabalho que já se iniciou no anos 90, de investigação sobre a viabilidade da produção e da aquacultura na Madeira".

"Este centro, alicerçado na ciência e na tecnologia, tem realmente um papel fundamental na nossa Região, em várias vertentes, desde logo na vertente económica, porque se criaram estudos de base que permitiram o investimento privado nesta área e acompanhamento desse mesmo investimento. Na área ambiental porque, no fundo, também compete ao centro acompanhar a sustentabilidade desta produção e o seu impacto ambiental, e ainda na vertente educativa, que para nós é fundamental, porque é um dos objetivos deste centro promover a educação na tecnologia e na ciência aquática."

Josefina Carreira sublinha que, desta forma, o "centro está a contribuir para algo que este grupo parlamentar considera muito importante, que é o desenvolvimento de uma cultura marítima junto das novas gerações para perceberem o potencial que tem este nosso mar".

A deputada salienta que o Centro de Maricultura da Calheta "é o exemplo claro da ligação profícua entre a ciência e a indústria", tendo já dado "frutos, com os recentes investimentos que têm acontecido ao longo da nossa costa e, de facto, mais ciência significa mais inovação, mais crescimento económico e emprego qualificado". Além disso, toda a qualidade do trabalho e da investigação ali produzida é também um "ponto de partida para valorizar a economia do mar".

O Centro de Maricultura tem, neste momento, como principal desafio a diversificação da produção em aquacultura, tendo em vista a sustentabilidade da atividade, estando a ser concretizados vários projetos, com parceiros internacionais.