• banner2018.jpg
  • bannerSItePSDMconselhoOut2017_5.jpg
  • bannerSItePSDMconselhoOut2017_1.jpg

O executivo do CDS na Câmara Municipal de Santana chumbou uma proposta apresentada pelos vereadores do PSD, que previa a criação de regalias sociais aos voluntários do Concelho, refugiando-se, uma vez mais, na tese do “populismo”, já utilizada pelos mesmos quando o PSD apresentou, em setembro passado, uma proposta para a aplicação do IMI familiar no Concelho de Santana.

Além de um discurso já gasto, e da falta de ideias válidas para a população do Concelho de Santana, a posição assumida pelo CDS na Câmara Municipal de Santana parte de pressupostos erróneos.

Ao considerar que a Câmara Municipal, por “estar debaixo de uma troika”, obriga a manter receitas, não explica porque é que essa situação não se aplicou quando a Câmara, por decisão do CDS, decidiu abrir mão de parte do IRS e devolvê-lo aos Munícipes (medida esta que o PSD aprova). Ou seja, o mesmo argumento serve para justificar uma situação e não para a outra, que prevê também a perda de receita por parte do Município. A única justificação resulta do fato de uma proposta ter sido apresentada pelo PSD e outra não. Ou seja, o CDS, na falta de ideias próprias, limita-se a não aprovar as iniciativas do PSD só porque são do PSD.

Por outro lado, o executivo do CDS, além de ter mostrado uma total ignorância sobre o que é ser voluntário, assumiu, na reunião do executivo, uma posição de não abertura à proposta apresentada pelo PSD. Os vereadores do PSD tiveram a preocupação de, em sede de reunião do executivo, explicar a forma como a mesma seria exequível, além de apresentarem um aditamento no sentido de beneficiarem também os jovens estudantes do Concelho que prestam voluntariado e que, à partida, não seriam beneficiados pela proposta inicial apresentada. A posição do CDS foi de total indiferença às ideias e à fundamentação apresentada pelos vereadores do PSD.

O PSD/Santana lembra que as medidas elencadas pelo CDS, nomeadamente as de apoio à aquisição de manuais/materiais escolares, à atribuição de bolsas de estudo e ao apoio financeiro às várias instituições do Concelho, são medidas iniciadas pelas vereações anteriores do PSD às quais o atual executivo dá continuação.

O PSD Santana continuará a apresentar as propostas que julgue pertinentes à vida do Concelho, não com o objetivo de dar lições de moral a quem quer que seja, mas sempre com o objetivo de ir ao encontro da população de Santana.

O Presidente da Concelhia do PSD/Santana

Paulo Freitas