• 1bannerSitePSDM19jun2018.jpg
  • 35227974_10216705850468501_2142540222246682624_n.jpg
  • bannerSitePSDM23mar2018rui.jpg
  • topofaceCompromissoMadeira2018

 A ex-Ministra das Finanças, Maria Luís Albuquerque, foi ouvida ontem, em audição, na Assembleia da República, para prestar esclarecimentos sobre o que aconteceu no tratamento das transferências para offshores.

Participaram nesta audição todos os grupos parlamentares com assento na Comissão de Orçamento, inclusive a deputada do PSD-Madeira, Rubina Berardo. Contudo, para o PS-Madeira, esta parece ser uma questão de pouco interesse, a julgar pela ausência do deputado Carlos Pereira.

Uma situação que Rubina Berardo considera ser “extremamente grave, tendo em conta o ataque cerrado efetuado pelo PS ao Centro Internacional de Negócios da Madeira (CINM) nesta audição”. Para a deputada social-democrata, “ao não comparecer numa matéria tão relevante para a Madeira, o líder do PS na Região e deputado à Assembleia da República está a ser conivente com essas críticas, optando pela fuga em vez da contra-argumentação com o seu partido ao nível nacional e voltando, deste modo, as costas aos madeirenses”.

O PSD considera fundamental esclarecer o que aconteceu, enquanto se aguarda o resultado da auditoria da Inspeção Geral de Finanças, dada a seriedade desta questão, condenado o facto de certos partidos preferirem a difamação sem fundamentos ao esclarecimento cabal e honesto. “Não só lançaram suspeitas sobre o governo anterior, como também insistiram em confundir a Madeira com o caso das ‘offshores’ para tentarem capitalizar ganhos de forma pouco honesta”, afirmou Rubina Berardo.

Nesta audição, a antiga Ministra das Finanças foi clara em separar as águas, ressalvando que a Madeira é território nacional - não é uma ‘offshore’ – e, por isso, este caso nada tem a ver com a Madeira. Sublinhou ainda que o regime do CINM é concedido ao abrigo do estatuto da ultraperiferia por parte da Comissão Europeia.

Rubina Berardo fez questão de lembrar que certos deputados da maioria parlamentar não se cansam de criticar o CINM quando lhes é partidariamente conveniente, mas depois vemos o Governo Regional dos Açores, suportado pelo PS, a fazer um “copy-paste” do modelo para a Ilha Terceira, conforme o processo negocial em curso com as autoridades europeias.

“Cópias são sempre a maior forma de elogio”, sublinhou a deputada.