• bannerNewsPSD21set3.jpg
  • 35227974_10216705850468501_2142540222246682624_n.jpg
  • bannerSitePSDM23mar2018rui.jpg
  • topofaceCompromissoMadeira2018

A deputada do PSD na Assembleia da República Sara Madruga da Costa visitou esta manhã mais um serviço da República na Região, desta vez o Comando da Zona Militar da Madeira.

Na visita, a deputada Sara Madruga da Costa fez-se acompanhar pelo coordenador do GP do PSD para as matérias da defesa, Pedro Roque, ex-Secretário de Estado do Emprego e, atualmente, deputado na Assembleia da República, tendo destacado a importância de conhecer de perto a realidade dos militares na Região.

“A missão dos militares na Região é muito importante, nomeadamente em situações de catástrofes naturais, como aquela ocorrida no 20 de fevereiro, nas missões de busca e salvamento, alojamento e transporte de doentes”, afirmou Sara Madruga da Costa, adiantando que foi também muito importante para a Região, “a recente ajuda concedida no transporte de medicamentos fruto da greve dos estivadores”.

Os dois deputados na Assembleia da República reuniram-se com o novo Comandante da Zona Militar, o major – general Rui Clero, tendo sido abordado o problema das comunicações do radar militar da Madeira, que motivou já uma visita da deputada às instalações daquela estrutura militar e uma pergunta ao Ministro da Defesa sobre o ponto de situação e qual a data prevista para a sua entrada em operação.

Durante a reunião foi igualmente abordado um dos desígnios do Comandante na Região, o de aumentar o número de mulheres nas fileiras das forças armadas, aproximando-o da média nacional, objetivo este que é também defendido pela deputada. “Precisamos de agilizar o acesso dos jovens da região à carreira militar e às academias militares, aumentando a participação dos jovens e das mulheres da região nesta nobre e aliciante carreira”, referiu Sara Madruga da Costa.

Entre outros temas, foi também referida a forma como é feita a vigilância e o controlo do arquipélago, em especial na zona das Selvagens, se os meios existentes são adequados e se estão previstos novos meios para breve para a Região, nomeadamente a substituição do navio patrulha.