• bannerNewsPSD18jan.jpg
  • bannerNewsPSD1sitePrada.jpg
  • bannerNewsPSD1siteAlb.jpg

A deputada Sara Madruga da Costa exigiu ao Ministro da Administração Interna, na primeira audição regimental de 2019, na Assembleia da República, o reforço do número de efetivos da PSP e do SEF na Madeira, mas também no Porto Santo.

Sara Madruga da Costa referiu a grande carência de efectivos existente na Região, quer na PSP que no SEF que dificultam o funcionamento destes serviços da República na Região e questionou as prioridades do Governo da República nesta matéria, tendo em conta que Eduardo Cabrita referiu na audição parlamentar que os Açores “constituíram a segunda zona prioritária de reforço dos efetivos da PSP logo a seguir a Lisboa e a Madeira não”.

A Deputada social democrata referiu ainda ”uma reivindicação que já não é nova, Já foi colocada por si anteriormente e que esteve inclusivamente no mote de uma manifestação na Região em Dezembro dos váríos delegados regionais da PSP que é necessidade de consagração da atribuição de um subsídio de insularidade a todas as forças de segurança na Região”

Na resposta o ministro da administração interna explicou que “o subsídio de insularidade será discutido no debate que se iniciará sobre a redefinição dos subsídios que devem ser integrados no vencimento e que a Região tem condições de estabilidade dos efetivos da PSP superiores a outras regiões do país, o Governo julga poder dar uma resposta mais intensa em 2019.”.

Em relação ao SEF, Eduardo Cabrita referiu que “a prioridade do Governo incide em três domínios, segregação das entradas e saídas no porto de cruzeiros do Funchal, aumento do número de gates no aeroporto Cristiano Ronaldo, procura de um espaço no porto do Porto Santo, para além de que o Governo conta poder reforçar o quadro do SEF em 2019.”

Intervenção