• bannerSitePSDM_CM.jpg
  • bannerNewsPSD21set3.jpg
  • 35227974_10216705850468501_2142540222246682624_n.jpg
  • bannerSitePSDM23mar2018rui.jpg

A Madeira é a única Região do País que vai cumprir os compromissos que assumiu com os enfermeiros. “O Governo Regional já repôs os 25 dias de férias, já implementou na Madeira as 35 horas semanais, já assumiu o compromisso de pagamento do suplemento aos enfermeiros especialistas. E assumiu o compromisso de contratar mais 400 enfermeiros”, sublinhou a deputada do PSD na Assembleia da República, Sara Madruga da Costa, após uma reunião com representantes de dois sindicatos.

Em contraponto, Sara Madruga da Costa fala com “preocupação” acerca do “incumprimento” do Governo da República para com os enfermeiros e outros profissionais, criticando o constante adiar da resolução dos problemas.

“Depois de ter mentido e enganado os professores, António Costa e o governo da geringonça, voltam a fazê-lo agora com os enfermeiros”, acusou a deputada, lamentando que a uma semana da apresentação do próximo Orçamento de Estado (OE), o ministro da Saúde tenha voltado a cancelar a reunião que estava prevista com o Sindicato [dos Enfermeiros].

Sara Madruga da Costa lembrou que em 2017 o Governo da República assumiu vários compromissos com os enfermeiros, nomeadamente, a revisão das carreiras, a retificação das tabelas salariais, e o descongelamento das carreiras.

“Estas promessas deveriam ter entrado em vigor em 2018, mas aquilo a que assistimos é um adiar destes problemas”, e à “desconvocação de reuniões.”

Felizmente na Região, frisou Sara Madruga, a situação é completamente diferente daquela que se vive a nível nacional. “O Governo da Madeira cumpre e dialoga com os enfermeiros e tem cumprido com os compromissos. O Governo Central não cumpre nem dialoga.”

Lembrando que estamos a uma semana da apresentação do OE para 2019, Sara Madruga não esconde a preocupação com os “incumprimentos” de António Costa e do governo da geringonça, especialmente no que respeita ao Novo Hospital da Madeira.

“Esperamos que o Governo da República finalmente cumpra com o cronograma financeiro e inscreva a verba necessária para a construção do Novo Hospital da Madeira”, rematou.