• bannerSitePSDM_CM.jpg
  • bannerNewsPSD21set3.jpg
  • 35227974_10216705850468501_2142540222246682624_n.jpg
  • bannerSitePSDM23mar2018rui.jpg

A deputada Sara Madruga da Costa desafiou hoje o PS, o BE e o PCP a aprovarem, na Assembleia da República, o fim do tratamento fiscal diferenciado entre o IHRU e o IHM.

Numa iniciativa realizada na zona da Choupana, junto a uma das casas recuperadas ao abrigo do PRID (Programa de Recuperação de Imóveis Degradados), Sara Madruga da Costa disse ser incompreensível que o IHM não possa aceder à mesma taxa reduzida do IVA (5%) atribuída ao IHRU na reabilitação de imóveis, uma vez que se tratam de organismos que têm a mesma função social.

"É inaceitável existir duas entidades, no mesmo país, que prosseguem os mesmos objetivos e finalidades" , mas que têm "um tratamento fiscal completamente diferente”.

E isso acontece, explicou, porque os partidos que sustentam a Geringonça se têm recusado a aprovar uma proposta do PSD para que esta situação seja alterada. "O PSD vai voltar a apresentar na Assembleia da República uma proposta nesse sentido e espera que desta vez o PS, BE e PCP aprovem e não a chumbem apenas por ser da Madeira", disse.

A deputada reforçou que a redução do IVA é muito importante porque permitiria ao IHM dispor de mais verbas e ajudar mais famílias.

Considera, por isso, que é tempo de "a frente de esquerda que governa em Lisboa pôr fim ao cerco à Madeira e governar para todos os portugueses".