• bannerSitePSDM_CM.jpg
  • bannerNewsPSD21set3.jpg
  • 35227974_10216705850468501_2142540222246682624_n.jpg
  • bannerSitePSDM23mar2018rui.jpg

A deputada Rubina Berardo confrontou, ontem, numa audição na Assembleia da República, a ministra do Mar com as declarações de rejeição do apoio do Estado à linha marítima entre a Madeira e o Continente e com a receção feita pela mesma governante ao ‘Ferry’ no porto de Portimão.

“Em março de 2017, a Senhora ministra deixou claro que o Governo da República não iria participar no procedimento do ‘ferry’ para a Madeira nem ia participar financeiramente nessa operação”.

A deputada sublinhou que, perante “este imobilismo do Governo central, o Governo da Madeira não ficou parado e, a 2 de julho deste ano, foi inaugurada, então, a ligação entre a Madeira e Portimão”.

Contudo, sublinhou, a 17 de julho, dá-se “um evento mimético”, no porto de Portimão, onde a senhora ministra decidiu “congratular com chapéu alheio” esta operação, afirmando que a mesma “assegurava o princípio da continuidade territorial”.

O que a ministra não referiu, adiantou Rubina Berardo, é que este é um princípio que deve ser assegurado pelo Estado, o que não corresponde à realidade na operação do ‘ferry’ entre a Madeira e Portimão.

A deputada salienta que o “Estado não entra nem com um cêntimo para financiar esta operação”, que sai do Orçamento regional, levando a que o Governo da Madeira “tivesse que se substituir ao Governo central, tal como também o fez na situação do helicóptero de combate aos fogos que esta semana ficou clara”.

Vídeo da intervenção