• bannerNewsPSD21set3.jpg
  • 35227974_10216705850468501_2142540222246682624_n.jpg
  • bannerSitePSDM23mar2018rui.jpg
  • topofaceCompromissoMadeira2018

Numa intervenção no debate sobre políticas fiscais e preços dos combustíveis, a deputada Sara Madruga da Costa acusou o BE de ser cúmplice do governo da república no aumento do preço dos combustíveis.

“Todos os portugueses sabem que o BE aprovou com o governo da república, o aumento do imposto sobre os produtos petrolíferos em 2016, em 2017 e em 2018 e que é cúmplice neste saque ao bolso das famílias e dos empresários. Graças ao BE os portugueses pagam os combustíveis mais caros do mundo” referiu.

“E nem venham dizer que a culpa do aumento dos combustíveis é dos outros, do Trump, dos mercados internacionais, do anterior governo, das privatizações, da banca e de terceiros. Já ninguém vai nessa conversa. A culpa do aumento dos combustíveis é deste governo da república, mas também é do BE”.

Para a deputada madeirense este debate põe a nu as permanentes contradições do BE que “diz uma coisa, mas depois pela calada faz outra. O BE é como o deus Janus da mitologia greco-romana, tem uma cara a olhar para a frente e outra cara a olhar para trás. Quando lhe convém finge ser oposição e quando não lhe convém fica caladinho a manobrar o governo”.

Sara Madruga da Costa referiu que o PSD “sempre foi contra este caminho e contra esta forma encapotada de austeridade” e atribuiu as culpas ao socialismo por “estar a tornar o combustível um bem inacessível à maior parte dos portugueses”.

De acordo com a deputada “o caminho deste governo e da frente de esquerda é um “caminho errado e injusto, porque penaliza todos por igual, paga o pobre, paga o rico, sem se olhar ao rendimento e às possibilidades de cada um” por isso o PSD apresentou uma iniciativa legislativa que insta o governo a reduzir o imposto sobre os produtos petrolíferos.