• 1bannerSitePSDM19jun2018.jpg
  • 35227974_10216705850468501_2142540222246682624_n.jpg
  • bannerSitePSDM23mar2018rui.jpg
  • topofaceCompromissoMadeira2018

Os sucessivos adiamentos e indefinições da república quanto à contratação de meios aéreos em 2018 e 2019, levaram a deputada Sara Madruga da Costa a questionar o Ministro da Administração Interna e o Ministro da Defesa.

Sara Madruga da Costa lembrou que o governo da república realizou na Madeira há um ano, um exercício sobre a utilização dos meios aéreos que contou com a presença dos deputados do PSD eleitos pelo círculo eleitoral da Região Autónoma da Madeira, sem que até à data esteja definida a data em que os mesmos serão disponibilizados à Região.

Aliás, “os dois concursos lançados pela república em 2018 para a contratação de meios aéreos falharam e por isso continuamos a aguardar pela contratação por parte da república do meio aéreo previsto para a Madeira”, referiu Sara Madruga da Costa.

A deputada madeirense confrontou Eduardo Cabrita com a falha na contratação dos meios aéreos da república para 2018 e com as recentes notícias que dão conta da contratação por ajuste direto de 28 helicópteros a uma empresa privada, tendo questionado concretamente o ministro sobre o ponto de situação da contratação do helicóptero para o combate aos incêndios na Região Autónoma da Madeira e se a contratação do meio aéreo para a Madeira em falta está ou não prevista no ajuste directo recentemente anunciado pelo governo da república.

Sara Madruga da Costa perguntou ainda ao ministro qual a data de conclusão do procedimento concursal de aquisição do helicóptero para a Madeira e se o mesmo estará ou não disponível a operar em junho de 2018 na Madeira.

A deputada social democrata também exigiu à república esclarecimentos sobre a disponibilização de meios aéreos em 2019.

Na audição regimental, desta feita ao Ministro da Defesa, a deputada Sara Madruga da Costa abordou Azeredo Lopes sobre a disponibilização dos meios aéreos de combate a incêndios da força aérea à Madeira em 2019.

“O ministro referiu na audição, que há um Grupo de Trabalho que está a analisar os meios aéreos de combate a incêndios pela força aérea no continente e a necessidade do reforço dos seus meios. A Região Autónoma da Madeira não pode ficar de fora dessa operação”, referiu Sara Madruga da Costa.

“Sr. Ministro de que forma está pensada a operação de combate a incêndios pela força aérea para a Madeira em 2019? Estão ou não previstos reforços de meios para a Madeira e a afetação de uma aeronave para a Região a partir de 2019?, perguntou a deputada social democrata que fez questão de assinalar a importância da Madeira não ser esquecida nesta operação nacional de utilização de meios aéreos da força aérea em 2019, dados os incêndios de enormes proporções ocorridos na ilha em Agosto de 2016.