• banner2018.jpg
  • bannerSItePSDMconselhoOut2017_5.jpg
  • bannerSItePSDMconselhoOut2017_1.jpg

A deputada à Assembleia da República Sara Madruga da Costa e o presidente da junta de freguesia da Calheta Antero Santana criticaram o governo da República pela injustiça na atribuição de verbas do fundo de financiamento de freguesias à freguesia da Calheta.

“A freguesia da Calheta está a receber menos verbas que outras freguesias com menor área geográfica e com menos população, situação esta que é bastante injusta para a freguesia e para a sua população”, referiram os sociais - democratas.

Na reunião que teve lugar esta manhã na Calheta, a deputada social-democrata manifestou a sua solidariedade para com esta causa que considera justa, saudou o empenho do presidente da junta de freguesia na resolução deste problema e disponibilizou-se para ajudar: “Questionarei o governo da república sobre esta situação, pois a freguesia da Calheta, não pode ficar prejudicada na atribuição de verbas” disse Sara Madruga da Costa.

Os sociais democratas consideram que “não estão a ser tidos em conta os elementos correctos da freguesia da Calheta para a atribuição de verbas do FFF, nomeadamente a área geográfica, o número de eleitores e o número da população de acordo com os Censos de 2011 e que isso penaliza a freguesia que recebe menos verbas”.

Antero Santana, presidente da junta já anunciou inclusivamente que vai entrar com uma ação judicial contra o Estado para fazer face ao calote na ordem dos cento e vinte mil euros de António Costa relativo às verbas do FFF e conta com a colaboração da deputada Sara Madruga da Costa para acelerar o processo e pressionar o governo da República.