• bannerSitePSDMconclusoes.jpg
  • bannerNewsPSD9nov.jpg
  • bannerSitePSDM23mar2018rui.jpg
Notícias
  Sábado, 10 Novembro 2018

O professor  Luís Mata, um dos oradores da ‘Compromisso Madeira’, realizado hoje no auditória da Segurança Social, com a temática da Educação, considera que a gestão escolar “tem um papel central” para a obtenção de bons resultados e na qualidade das políticas públicas de educação.

A intervenção teve por base a investigação realizada sobre “O impacto da gestão estratégica de recursos humanos nos resultados de políticas públicas de educação”, no âmbito da qual foram ouvidos diversos intervenientes, desde a família, aos políticos e parceiros.

Segundo o professor, foi possível chegar a 25 dimensões que são relevantes para compreender a educação, organizadas em 7 categorias.

A primeira categoria passa pela avaliação estratégica dos professores, defendendo uma avaliação em que, acima de tudo, se perceba quais são as competências do professor, o que sabe e o que aprendeu, qual o seu perfil, o que faz, como faz, que técnicas usa e qual a perceção que as pessoas têm daquilo que ele faz.” Isso substancia-se naquilo que é uma avaliação estratégica do professor”, disse, salientando que não interessa aqui saber em que nível hierárquico o professor está, mas a sua avaliação do ponto de vista estratégico.

A segunda categoria está relacionada com a Escola. Luís Mata considera que é preciso conhecer a escola e todo o seu contexto, o seu perfil, como são interpretadas as necessidades daquela comunidade local no projeto educativo da escola e quais os seus resultados, não considerando uma medida única de avaliação da escola.

Referiu ainda as dinâmicas exógenas à escola, onde inclui o recrutamento, seleção e mobilidade e as dinâmicas endógenas, ressalvando que “ninguém tente mudar aquilo que não conhece” e que a inovação pedagógica é, sobretudo, resultado das suas competências, dos sues projetos individuais.

Outra das categorias é a da comunicação interna, ou sejam aquilo que “nos faz funcionar bem”, a que se junta a gestão e liderança da escola, através da qual é necessário promover os equilíbrios entre o exterior e o interior e que, segundo Luís Mara, é o ator privilegiado para o sucesso dos alunos, pois dele depende a capacidade de por “a pessoa certa no lugar certo”.

“A verdadeira valorização pessoa vem da pessoa estar a fazer aquilo que sabe nas melhores condições possíveis. Se eu tiver estas condições eu tenho a motivação e valorização do pessoal e perante isto eu tenho as condições propícias a que os alunos atinjam o seu sucesso.”


Finalmente, a última categoria diz respeito à perceção dos resultados da escola, afirmando que “a descentralização será um meio para fortalecer a perceção da qualidade”.
Luís Mata salientou ainda que se trata de um modelo teórico, mas que pode ter viabilidade prática, com o objetivo de se obter resultados melhores por via dos recursos humanos.