• bannerNewsPSD30jun.png
  • bannerSitePSDMconclusoes.jpg
  • bannerSitePSDM23mar2018rui.jpg
Notícias
  Quinta, 4 Outubro 2018

É com apreensão que o PSD olha para a criação de uma Polícia Municipal por parte da autarquia do Funchal. No final da reunião de câmara, o vereador social-democrata, Jorge Vale Fernandes, questionou o real benefício desta medida para a Cidade, interrogando-se se esta não será mais uma forma deste executivo sobrecarregar os munícipes com mais multas e coimas.

Sobre o custo/benefício desta estratégia, “o senhor presidente da Câmara começou por secundarizar o papel da Polícia de Segurança Pública (PSP), relegando esta instituição para as funções de segurança apenas, sabendo que as funções de fiscalização, de controlo e de acompanhamento seriam realizadas pela Polícia Municipal”, constatou Vale Fernandes

Outras questões prendem-se com os custos da Polícia Municipal e com os funcionários da CMF que atualmente exercem funções de fiscalização e acompanhamento. “Só as instalações de uma Polícia Municipal custarão pelo menos 1 Milhão de Euros. A estes custos acrescerão, no futuro, outros de manutenção, de operação e de pagamento de salários”, referiu, sublinhando que há outras necessidades mais urgentes que os munícipes querem ver resolvidas.

No que respeita às equipas que já existem e desempenham funções de fiscalização Jorge Vale Fernandes questionou: “O que é que acontecerá com esses funcionários. Será que vão ser transferidos para outras funções? Será que vão ser dispensados?”

Há muitas questões sem resposta, salientou. Por isso, a posição do PSD é de muita cautela no sentido de avaliar os estudos que “supostamente” estão a ser produzidos pela Autarquia. Até porque os estudos já foram solicitados pela vereação social-democrata, mas até o momento não foram disponibilizados pelo executivo municipal.